Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de catalisadores core-shell para reação de reforma a vapor do etanol

Processo: 19/15110-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Estevam Vitorio Spinacé
Beneficiário:Tamara Siqueira Moraes
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/09087-4 - Estudos sobre o uso do bioetanol em células a combustível do tipo PEMFC e SOFC, AP.TEM
Assunto(s):Catalisadores   Catálise

Resumo

A crescente preocupação com a redução das emissões de gases causadores do efeito estufa e de outros poluentes atmosféricos tem intensificado o interesse no uso de células a combustível para a geração de energia. Neste cenário, o hidrogênio, se produzido a partir de fontes renováveis, pode contribuir para a produção sustentável de energia, já que pode ser convertido eletroquimicamente em energia em uma célula a combustível, visando à produção de eletricidade para diversas aplicações, tais como dispositivos eletrônicos portáteis, veículos e residências. O hidrogênio pode ser produzido a partir da reforma a vapor de líquidos derivados da biomassa como, por exemplo, o bioetanol. A reforma a vapor do etanol para a produção de hidrogênio apresenta uma série de vantagens. Porém, uma das principais barreiras para a comercialização desta tecnologia é a desativação dos catalisadores devido à formação de carbono. Portanto, é necessário o desenvolvimento de catalisadores que sejam estáveis e resistentes à formação de carbono. Diversas estratégias vêm sendo utilizadas para evitar o depósito de carbono na superfície dos catalisadores. O presente projeto tem como objetivo a síntese de catalisadores modificados estruturalmente sob a forma de "core-shell" visando a inibição da formação de carbono e aumento da estabilidade dos catalisadores na reação de reforma a vapor do etanol. Essa nova forma de síntese de catalisadores se mostrou muito eficiente em outras reações, mas ainda é muito pouco estudada na reação de reforma a vapor do etanol. (AU)