Busca avançada
Ano de início
Entree

Desigualdade e diversidade territorial e participação social na gestão de recursos hídricos. Um diálogo entre políticas e saberes no território.

Processo: 19/24219-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 20 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 19 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Planejamento Urbano e Regional
Pesquisador responsável:Pedro Roberto Jacobi
Beneficiário:Gabriel Machado Araujo
Supervisor no Exterior: Henry Dan Leff Zimmerman
Instituição-sede: Instituto de Energia e Ambiente (IEE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM), México  
Vinculado à bolsa:18/10305-7 - Territórios: projeto transparência e coleta de dados, BP.IC
Assunto(s):Recursos hídricos   Planejamento territorial   Desigualdade

Resumo

A crise hídrica é um fenômeno contemporâneo na macrometrópole paulista que necessita de instrumentos de planejamento complexos interdisciplinares, que possibilitem tomadas de decisão precisas e rápidas frente a escassez. Contar com uma boa governança e com informações cada vez mais precisas é essencial para que esses processos aconteçam. Parte importante desses instrumentos utilizam indicadores, contudo, seu uso, que serve como instrumento político de planejamento, que poderia facilitar a participação na governança da água, quando desconectado da estrutura territorial pode acarretar limites na governança democrática. Por essa razão o objetivo do projeto é caracterizar a diferença de natureza e de grau nos territórios da Macrometrópole Paulista (MMP), com a hipótese de que os "buracos territoriais" são também buracos de participação democrática. Para tanto será realizada uma revisão bibliográfica com base na epistemologia ambiental, com o olhar para as múltiplas determinações do território. Com isso, pretende-se contribuir na sistematização do reconhecimento e dos diálogos de saberes face às crises ambientais e para o avanço teórico-conceitual na reformulação das políticas territoriais.