Busca avançada
Ano de início
Entree

Produto biotecnológico a partir do uso de Pediococcus pentosaceus como aditivo biológico para conservação natural de silagens

Processo: 20/12993-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Pamela Oliveira de Souza de Azevedo
Beneficiário:Pamela Oliveira de Souza de Azevedo
Empresa:Pamela Oliveira de Souza de Azevedo
CNAE: Atividades de apoio à agricultura
Vinculado ao auxílio:19/16551-2 - Produto biotecnológico a partir do uso de Pediococcus pentosaceus como aditivo biológico para conservação natural de silagens, AP.PIPE
Assunto(s):Nutrição animal   Silagem   Forragem   Bactérias gram-positivas   Bactérias ácido lácticas   Pediococcus pentosaceus   Técnicas microbiológicas   Fungos   Leveduras   Agentes de controle biológico

Resumo

A ensilagem consiste na fermentação de açúcares livres em ácido lático, independentemente da forragem, por micro-organismos epifíticos, principalmente Bactérias Ácido Láticas (BAL), variando em número e composição durante a fermentação. As silagens são usadas para preservar as forragens por longos períodos de tempo quando a forragem fresca é limitada ou não disponível sazonalmente e sua fermentação e manutenção inadequada favorecem a proliferação de patógenos, contribuindo para a deterioração da silagem. BAL é um grupo de micro-organismos bem distribuídos na natureza, tendo o ácido lático como o principal metabólito resultante após a fermentação de açúcares. Algumas BAL pertencentes ao gênero Pediococcus, que são consideradas probióticos devido à sua colonização do trato gastrointestinal de mamíferos, produzem moléculas antimicrobianas, como as bacteriocinas, que possuem um amplo espectro de ação contra bactérias Gram-positivas e Gram-negativas, protozoários, fungos e vírus, podendo assim comportar-se eficazmente na conservação da silagem. Estudos preliminares, realizados pela Dra. Azevedo, demonstraram que um novo antimicrobiano produzido por Pediococcus pentosaceus possui atividade antibacteriana e antifúngica contra importantes contaminantes e deteriorantes de silagem, mostrando o seu potencial como conservante natural de silagem. Nossa hipótese é a melhoria da preservação de silagens utilizando P. pentosaceus e sua molécula antimicrobiana como inoculante de silagem para controlar o crescimento de outras BAL, especialmente bactérias heterofermentativas, fungos e leveduras, visando reduzir a produção de ácido acético, manter a produção de ácido lático e produzir uma silagem mais estável e nutritiva quando exposta ao ar. Para atingir esses objetivos, a forragem será inoculada com P. pentosaceus como aditivo natural de silagem de grãos utilizando pulverizador manual. Após o tratamento, a ensilabilidade da silagem será determinada pela avaliação da massa seca, massa orgânica, proteína bruta e fibras, seguida de análise química (concentração de ácidos orgânicos, amônia, álcoois e aminas biogênicas) por HPLC e análise microbiológica (contagem de BAL, fungos e leveduras) pela metodologia pour plate. A inovação científica desta proposta de pesquisa refere-se ao uso de P. pentosaceus e sua potente molécula antimicrobiana como inoculante natural de forragem para a preservação de silagem, uma bactéria homofermentativa com forte potencial de aplicação no setor agrícola para o biocontrole natural e preservação da qualidade do alimento para gado. (AU)