Busca avançada
Ano de início
Entree

Coping religioso de cuidadores informais de pacientes com autonomia reduzida

Processo: 10/03075-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Pesquisador responsável:Rodolfo Franco Puttini
Beneficiário:Mayra Naves Clemente
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Enfrentamento   Religiosidade   Autonomia   Doença crônica   Ciências sociais

Resumo

Pacientes portadores de doenças crônicas podem sofrer grande perda de autonomia dependendo da enfermidade que ele possua. Quando isso ocorre, ele necessita da ajuda de um cuidador informal para o auxiliar nas tarefas antes corriqueiras e simples.Cuidador informal é aquele que não possui formação na área da saúde mas que assume o papel de assistir ao doente suprindo suas incapacidades. Essa tarefa pode ser assumida por pais, filhos, cônjuges, amigos etc e, na maioria das vezes, torna-se uma atividade estressante para aquele que a realiza.Devido ao estresse, o cuidador passa a fazer uso de estratégias de enfrentamento (coping) com o objetivo de minimizar a sobrecarga sofrida. Desta forma, coping pode ser entendido como um processo utilizado para controlar as demandas da relação indivíduo-ambiente e estão relacionados aos recursos sócio ecológicos no ambiente do cuidador ou ao seu contexto social recebendo bastante influência cultural.Um caso particular de enfrentamento, o coping religioso, é bastante utilizado no Brasil devido á grande influência da religiosidade na cultura brasileira.Devido aos altos níveis de estresse pelo qual o cuidador informal passa, sem, na maioria das vezes, possuir suporte para desempenhar seu papel além da notável influência que ele possui no processo de saúde e doença do paciente, tornam-se importante as pesquisas no ramo a fim de obter referências para o apoio aos cuidadores informais.