Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos dos processos interativos do sistema ionosfera-termosfera equatorial (epi-site).

Processo: 03/04550-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2003
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Jose Humberto Andrade Sobral
Beneficiário:Renata Santos e Silva
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/00437-0 - Estudos dos processos interativos do sistema ionosfera-termosfera equatorial, AP.TEM
Assunto(s):Ionosfera

Resumo

Título do projeto de pesquisa: "Estudo da freqüência de ocorrência das bolhas ionosféricas e espalhamento F ("spread-F") sobre a região nordeste brasileira". O objetivo deste projeto de pesquisa é estudar a freqüência de ocorrência das bolhas ionosféricas na região de São João do Cariri (Paraíba) e compará-la com a do espalhamento F sobre a região de São Luís. Pretende-se medir o tempo que leva o espalhamento F em São Luís chegar à região de São João do Cariri sob forma de bolhas de plasma. Essa medida é inédita. As bolhas ionosféricas são grandes regiões de rarefação do plasma ionosférico alinhadas ao longo do campo magnético terrestre. Elas acontecem no período noturno e são geradas logo após o pôr do sol por um processo de instabilidade do plasma ionosférico. O espalhamento F consiste no espalhamento difuso em altura do traço da região F em ionogramas. Não obstante as bolhas de plasma serem um fenômeno integrado ao logo de um tubo de fluxo do campo geomagnético, existe uma tendência de elas serem inicialmente geradas na região do equador magnético. Por isso São Luís está localizado numa posição ideal para esse estudo. A geração da bolhas na região de São Luís será manifestada pela aparição do espalhamento do traço F. Os dados experimentais para este trabalho serão de ionossonda (São Luís) que mostrarão a existência ou não do espalhamento F e dados de aeroluminsecência OI 630nm imageador obtidos por um imageador em São João do Cariri. (AU)