Busca avançada
Ano de início
Entree


Regulação microambiental de células epiteliais límbicas corneais de coelho expandidas sobre membrana amniótica humana desepitelizada : ênfase para a organização supramolecular dos maiores biopolímeros extracelulares

Texto completo
Autor(es):
Gisele Pereira Valdetaro
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.
Data de defesa:
Membros da banca:
João Antonio Tadeu Pigatto; Aline Adriana Bolzan
Orientador: José Luiz Laus; Marcela Aldrovani Rodrigues
Resumo

Por objetivos, estudaram-se procedimentos em cultivo celular e se eles alteram a supraorganização da matriz extracelular (MEC) amniótica e da límbica, considerando-se propriedades anisotrópicas dos biopolímeros em comum, isto é, colágenos fibrilares e proteoglicanos. Explantes límbicos de coelhos foram cultivados sobre fragmentos de membrana amniótica (MA) desepitelizada humana, por dois, sete e 15 dias. Fragmentos não cultivados de MA e de limbo foram usados como controles. Avaliaram-se parâmetros de birrefringência em fibras colágenas e de absorção e de dicroísmo linear (LD) em proteoglicanos, da MEC amniótica e da límbica. Todas as análises foram conduzidas em microscópio óptico munido de luz polarizada, filtros monocromadores com diferentes comprimentos de onda e vídeo-câmera. Empregaram-se procedimentos em análise digital de imagens (software Image J®, NIH, USA). Parâmetros de birrefringência revelaram que os graus de paralelismo das fibras colágenas amnióticas foram de 1,02 nos controles, 1,17 nas amostras cultivadas por dois dias, 1,26 nas amostras cultivadas por sete dias e de 1,17 nas amostras cultivadas por 15 dias. Relativamente às fibras límbicas, foram de 1,33, 1,17, 1,25 e 1,44. Os contrastes dos brilhos das birrefringências das fibras amnióticas foram de 2,0 nos controles, 13,25 nas amostras cultivadas por dois dias, 19,26 nas amostras cultivadas por sete dias e de 13,23 nas amostras cultivadas por 15 dias. Relativamente às fibras límbicas, foram de 23,01, 13,39, 19,90 e 30,31. Cores de interferência causadas por dispersão anômala de birrefringência foram detectadas. Procedimentos em cultivo celular alteraram parâmetros absorciométricos relacionados à supraorganização dos proteoglicanos da MEC amniótica e da límbica. As MAs de todas as amostras, exceto as cultivadas por 15 dias, apresentaram-se com valores negativos de DL. Os valores de DL dos limbos de todas as amostras, exceto... (AU)

Processo FAPESP: 13/25533-1 - Regulação microambiental de células epiteliais límbicas corneais expandidas sobre membrana amniótica desepitelizada: ênfase na organização supramolecular dos maiores biopolímeros extracelulares
Beneficiário:Gisele Pereira Valdetaro
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado