Busca avançada
Ano de início
Entree


Sistemática e evolução das aranhas orbitelas do gênero Wagneriana F.O. Pickard-Cambridge, 1904 (Araneae: Araneidae)

Texto completo
Autor(es):
Jimmy Jair Cabra Garcia
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Ricardo Pinto da Rocha; Taran Grant; Fernando Portella de Luna Marques; Martín Javier Ramírez; Adalberto José dos Santos
Orientador: Ricardo Pinto da Rocha; Gustavo Hormiga
Resumo

Embora vários gêneros neotropicais da família Araneidae tenham sido revisados usando padrões taxonômicos modernos, as filogenias ao nível de espécie e as relações filogenéticas entre os gêneros ainda são pouco conhecidas. Este estudo foi delineado para testar o monofiletismo do gênero neotropical Wagneriana F. O. Pickard-Cambridge, 1904 e sua posição filogenética, através de uma análise de evidência total. A matriz combinada incluiu 167 caracteres fenotípicos e aproximadamente 4.800 pares de bases gerados para três loci mitocondriais e seis nucleares. O conjunto de dados consiste em 82 terminais representando 100% da diversidade descrita do gênero Wagneriana (37 espécies após alterações taxonômicas) mais cinco espécies não descritas e 33 terminais do grupo externo representando 31 espécies. Para avaliar o significado filogenético da evidência fenotípica, comparações entre análises de evidência total e análises exclusivamente moleculares foram realizadas. Além disso, para avaliar o efeito dos critérios de alinhamento e otimalidade, foram realizadas múltiplas abordagens analíticas utilizando os programas POY, TNT, RAxML, GARLI, IQtree e MrBayes. Em geral, os resultados obtidos nas diferentes abordagens mostraram congruência. Em todos os casos, W. carimagua Levi, 1991 e W. uropygialis Levi, 1991 foram aninhados dentro dos gêneros Parawixia, F. O. Pickard-Cambridge, 1904 e Alpaida O. Pickard-Cambridge, 1889, respectivamente, e as espécies nominais remanescentes do gênero Wagneriana foram obtidas em três clados principais, nenhum dos quais formou um par de táxons irmãos. No entanto, as relações de grupo-irmão dos principais clados, bem como suas relações internas, foram fortemente influenciadas pela abordagem analítica empregada. A escolha dos critérios de alinhamento teve efeitos topológicos comparáveis aos dos critérios de otimalidade. Dentro do contexto de máxima verossimilhança, a escolha do programa afetou a maximização do escore de verossimilhança e a topologia. Embora a evidência fenotípica compreendesse apenas 2,80-3,05% das matrizes de evidencia total, teve impacto nos valores de suporte e na topologia. Em geral, a inclusão de evidências fenotípicas, independentemente do critério de otimalidade usado, aumentou os valores de suporte de vários clados do grupo interno e externo. Além disso, o monofiletismo de vários clados só foi recuperado com a adição de caracteres fenotípicos. De acordo com os resultados filogenéticos, um novo gênero de Araneidae é proposto e Paraverrucosa Mello-Leitão, 1939 é reestabelecido. Além disso, cinco espécies novas de Wagneriana são descritas e descrições complementares para sete espécies são fornecidas. Este estudo apresenta a primeira análise filogenética de evidência total de um gênero neotropical da família Araneidae e discute o impacto da inclusão de evidência fenotípica e a escolha de critérios de alinhamento e otimalidade em análises filogenéticas (AU)

Processo FAPESP: 13/20262-0 - Sistemática e evolução das aranhas orbitelas do gênero Wagneriana Cambridge, 1904 (Araneae: Araneidae)
Beneficiário:Jimmy Jair Cabra Garcia
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado