Busca avançada
Ano de início
Entree


Regulação pós-transcricional da enzima glutaminase por HuR e sua relação com os altos níveis glutaminolíticos tumorais = Post-transcriptional regulation of glutaminase enzyme by HuR and its relationship with high glutaminolytic levels in tumors

Texto completo
Autor(es):
Douglas Adamóski
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia
Data de defesa:
Orientador: Sandra Martha Gomes Dias
Resumo

A anaplerose do ciclo do TCA por glutamina, uma importante fonte energética e biossintética para células em elevada divisão celular, é prejudicada pela inibição da glutaminase. A inibição da glutaminase por CB-839 está em teste clínico como tratamento de múltiplos tumores sólidos e hematológicos. HuR (Human antigen R) é uma proteína codificada pelo gene ELAVL1. HuR apresenta três domínios de ligação à RNA e liga a elementos ricos em AU, afetando a estabilidade e o splicing do RNA. Achados prévios relacionam HuR à estabilização do mRNA da isoforma de glutaminase chamada de glutaminase C (GAC) em acidose renal e seu ortólogo, HuD, ao splicing alternativo de GLS em células neuronais. Com base nisto, nós hipotetizamos que HuR seria um importante regulador de glutaminase em câncer. Inicialmente nós avaliamos dados de transcriptômica pan-câncer do TCGA e observamos que pacientes com alta expressão de ELAVL1 apresentam aumentado risco de recidiva tumoral, sendo que em câncer de mama observamos um Cox hazard ratio (HR) de 1,82. Além disto, utilizando dados públicos de RNA-Seq, RIP-Seq e PAR-CLIP-Seq nós mostramos que HuR liga ao intron 14 de GLS e controla seu splicing, levando à escolha da isoforma kidney-type glutaminase (KGA) frente à GAC. Em adição, empregando células de câncer de mama e próstata e HEK293 (com um knock-in produzido por CRISPR/Cas9 onde foi inserido gene para proteína fluorescente no C-terminal de KGA) nós confirmamos que HuR aumenta os níveis de KGA por afetar o splicing e a estabilidade do mRNA. O silenciamento lentiviral de ELAVL1 prejudicou a proliferação, migração, invasão e aumentou o vício em glutamina de células de câncer de mama in vitro. O tratamento de células de câncer de mama silenciadas para ELAVL1 com CB-839 teve efeito sinérgico no sentido de afetar proliferação e invasão celulares in vitro. Nós propomos HuR como um fator de prognóstico em câncer de mama, com impacto especialmente no metabolismo de glutamina através da regulação de splicing do gene GLS. Nesta tese, nós também apresentamos em anexo sete artigos publicados que participei como co-autor, sendo quatro em co-primeira autoria (AU)

Processo FAPESP: 14/17820-3 - Regulação pós-transcricional da enzima glutaminase por HuR e sua relação com os altos níveis glutaminolíticos tumorais
Beneficiário:Douglas Adamoski Meira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado Direto