Busca avançada
Ano de início
Entree


Revisão e análise filogenética de Melosymmerus Munroe (Diptera, Bibionomorpha, Ditomyiidae)

Texto completo
Autor(es):
Falaschi, Rafaela Lopes
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto. [2008]. 47 f., ilustrações.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Dalton de Souza Amorim; Carlos José Einicker Lamas; Vera Cristina Silva
Orientador: Amorim, Dalton Souza
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Zoologia
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos da USP-DEDALUS
Localização: Universidade de São Paulo. Biblioteca Central do Campus de Ribeirão Preto; FFCLRP/Falaschi, Rafaela Lopes
Resumo

Os Ditomyiidae, incluídos por alguns autores na família Mycetophilidae s.l. como uma subfamília, compõem um pequeno clado da infraordem Bibionomorpha, alocado dentro dos Mycetophiliformia. Este último grupo está relativamente bem representado no registro fossilífero do Jurássico, enquanto que os ditomídeos possuem o seu registro mais antigo datado do Eoceno, há 52 milhões de anos. Dentro dos Mycetophiliformia, os Ditomyiidae, segundo topologias recentes, formam um grupo monofilético com Bolitophilidae, Diadocidiidae e Keroplatidae. No momento, 15 gêneros são aceitos para a família, com cerca de 107 espécies descritas para todo o mundo, exceto para a região Afrotropical. Dentre esses gêneros, Melosymmerus Munroe apresenta distribuição exclusivamente neotropical, o qual, juntamente com Calosymmerus Munroe, tem como grupo-irmão Australosymmerus Freeman, de distribuição circum-antártica. Esse grupo de gêneros tem como grupo-irmão Symmerus Walker, de distribuição holártica, compondo os Symmerinae. Esse é um padrão bastante característico de grupos fragmentados pelo processo de tectônica de placas, gerando disjunção intercontinental por vicariância. Em Ditomyiinae, estão incluídos os gêneros Ditomyia, Asioditomyia, Nervijuncta, Rhipidita e Calliceratomyia, que apresentam o mesmo padrão de distribuição no mundo. Há dez espécies recentes descritas para Melosymmerus - sete do Brasil, uma do Equador e duas do México. Oito novas espécies de Melosymmerus são descritas neste trabalho, obtidas através de coletas com armadilha Malaise ao longo da Floresta Atlântica. As espécies brasileiras são redescritas, uma chave para o gênero confeccionada e um catálogo organizado. Além das espécies novas, foram identificados espécimes de M bororo em Salesópolis e Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo, e de M bisetosus nos Estados do Paraná e Minas Gerais, ampliando a distribuição conhecida dessas espécies... (AU)

Processo FAPESP: 05/56185-2 - Revisão e análise filogenética de melosymmerus (Diptera, Bibionomorpha, Ditomyiidae)
Beneficiário:Rafaela Lopes Falaschi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado