Busca avançada
Ano de início
Entree


Caracterização da vegetação natural em Ribeirão Preto, SP: bases para conservação

Texto completo
Autor(es):
Henriques, Olga Kotchetkoff
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto. [2003]. 208 f., ilustrações.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Joly, Carlos Alfredo; Bernacci, Luis Carlos; Metzger, Jean Paul Walter; Oliveira, Alexandre Adalardo de; Rodrigues, Ricardo Ribeiro
Orientador: Joly, Carlos Alfredo
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Ecologia
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos da USP-DEDALUS; Biblioteca Digital de Teses e Dissertações - USP
Localização: Universidade de São Paulo. Biblioteca Central do Campus de Ribeirão Preto; FFCLRP/Henriques, Olga Kotchetkoff
Resumo

Buscando o estabelecimento de base concreta para conservação dos fragmentos florestais em Ribeirão Preto, SP, foi efetuado o diagnóstico da vegetação natural no município. Existem 102 remanescentes florestais, e em 99 deles foi efetuado levantamento florístico expedito. Foram encontradas 494 espécies arbóreas, pertencentes a 74 famílias botânicas, além de 31 espécies exóticas. Baseada na composição de espécies de cada fragmento, foi efetuada análise de correspondência retificada (DCA), utilizando a classe de solo onde situa-se o fragmento como variável categórica. Esta análise indica a existência de quatro grupos de vegetação: Mata Mesófila, Mata Decídua, Mata Paludícola e Cerrado, que ocorrem, respectivamente, em Latossolo Roxo, Litossolo, Solo Hidromórfico e Latossolo Vermelho Escuro ou Latossolo Vermelho Amarelo. Cada grupo apresenta composição florística própria e fisionomia típica. A riqueza de espécies encontrada em cada fragmento variou de 13 a 134 espécies. Há um grande número de espécies com ocorrência rara - 275 espécies (52,38%) ocorrem em menos de 5% dos fragmentos, e nove espécies (1,71%) ocorrem em mais de 50% dos remanescentes. Há espécies com ocorrência rara em todos os fragmentos, mas elas tendem a ocorrer em maior número nos fragmentos maiores. Cada fragmento apresenta uma pequena porcentagem do total de espécies da formação, o que indica que, para conservar a diversidade de espécies, todos os fragmentos são importantes. Em geral, predominam nos fragmentos as espécies secundárias iniciais e zoocóricas, com uma tendência de aumentar a proporção de espécies pioneiras e anemocóricas com o aumento das perturbações antrópicas. A maioria dos fragmentos são pequenos e isolados. A análise do componente principal (PCA) mostrou que a área e a área core, fator de forma e dimensão fractal, e os índices de proximidade e similaridade são, respectivamente, os principais fatores atuantes nos três primeiros eixos... (AU)

Processo FAPESP: 99/11347-2 - Caracterização dos remanescentes de vegetação em Ribeirão Preto, SP
Beneficiário:Olga Kotchetkoff Henriques
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado