Busca avançada
Ano de início
Entree


Anatomia, germinação de sementes e análise do óleo essencial de Viguiera arenaria Baker in Martius e Viguiera robusta Gardner in Hook (Asteraceae - Heliantheae)

Texto completo
Autor(es):
Tuane Santos de Oliveira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Data de defesa:
Membros da banca:
Beatriz Appezzato da Gloria; Fernando Batista da Costa; Marilia Contin Ventrella
Orientador: Beatriz Appezzato da Gloria
Resumo

A família Asteraceae possui cerca de 1.600 gêneros e 20.000 espécies, representando cerca de 10% da flora mundial. No Cerrado é a segunda maior família dentre as fanerógamas em número de espécies, com grande importância no estrato herbáceo e arbustivo. Dentre as tribos da família Asteraceae, Heliantheae é considerada um grupo monofilético, com 189 gêneros e aproximadamente 2.500 espécies de ervas, arbustos e árvores. É importante economicamente com utilização alimentícia (girassol), ornamental (dália) e medicinal (camomila). Dentre os maiores gêneros de Heliantheae estão Bidens, Viguiera e Wedelia. Viguiera Kunth é um gênero exclusivamente americano com 180 espécies, das quais 27 são exclusivamente brasileiras. Seus representantes ocorrem principalmente em regiões de inverno seco com eventos periódicos de queimada como o Cerrado. A adaptação a esses ambientes pode estar ligada ao comportamento sazonal destas espécies, o qual consiste na senescência dos ramos aéreos nos períodos de baixas temperaturas e seca (fase de dormência) e na formação de novos ramos nos períodos de disponibilidade hídrica e temperaturas favoráveis (fase de floração). As espécies Viguiera arenaria Baker in Martius e Viguiera robusta Gardner in Hook estão incluídas na seção Paradosa na classificação das espécies do gênero Viguiera e são confundidas em materiais herborizados, sendo distinguidas atualmente apenas por caracteres polínicos. O estudo anatômico de V. arenaria e V. robusta visa contribuir para o levantamento de caracteres diagnósticos que auxiliem no reconhecimento destas em materiais herborizados ou não. Ambas as espécies são aromáticas em campo, devido à presença de compostos voláteis. Estudos fitoquímicos têm destacado o potencial farmacológico destas espécies, com base na atividade de terpenos de alto peso molecular como lactonas sesquiterpênicas e diterpenos. A literatura carece, porém, de dados sobre a composição química dos óleos essenciais motivo pelo qual os mesmos são apresentados no presente estudo. Tais informações auxiliam, através da quimiotaxonomia, na distinção entre as espécies, além de identificar compostos possivelmente fitoterápicos. O estudo da germinação de espécies de Viguiera arenaria e V. robusta aqui apresentado visa contribuir para o conhecimento sobre a propagação destas espécies visando uma possível exploração de seus princípios ativos, já que atualmente, elas ocorrem apenas em ambientes naturais de Cerrado. (AU)

Processo FAPESP: 10/02005-1 - Anatomia, germinação e análise comparativa do óleo essencial de Viguiera arenaria Baker e v. robusta Gardner (Asteraceae-Heliantheae)
Beneficiário:Tuane Santos de Oliveira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado