Busca avançada
Ano de início
Entree


Sistematica de Baccharis (Asteraceae: Astereae).

Texto completo
Autor(es):
Gustavo Heiden
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Jose Rubens Pirani; José Fernando Andrade Baumgratz; Rafaela Campostrini Forzza; Jefferson Prado; Nádia Roque
Orientador: Jose Rubens Pirani
Resumo

Uma hipótese filogenética abrangente sobre Baccharis, um gênero Americano predominantemente Neotropical, é necessária para testar seu caráter monofilético e esclarecer suas relações infragenéricas. Devido a sua grande diversidade morfológica e ampla distribuição geográfica, estudos filogenéticos com base em dados moleculares para testar o monofiletismo do gênero e investigar as relações de seus grupos infragenéricos foram aqui conduzidos, permitindo o reconhecimento e a revisão taxonômica de táxons menores e monofiléticos. Desta forma, uma hipótese filogenética sobre Baccharis é aqui apresentada, com base em 248 espécies amostradas, quatro regiões do genoma (ETS, ITS, trnH-PSBA, trnL-F) e análises Bayesianas. Os resultados confirmam a subtribo Baccharidinae como um grupo monogenérico e sustentam uma definição ampla de Baccharis s.l. monofilético e incluindo todos os gêneros que foram previamente segregados dele. Listagens abrangentes de táxons infragenéricos e de táxons aceitos ao nível de espécie foram compiladas com o objetivo de direcionar uma classificação infragenérica baseada nas relações filogenéticas de Baccharis. Sete linhagens principais foram reconhecidas e são tratadas aqui no nível taxonômico de subgênero, e neste processo todos os subgêneros anteriormente reconhecidos tiveram que ser recircunscritos para constituírem táxons monofiléticos. Quatro subgêneros correspondem imprecisamente a conceitos subgenéricos aplicados anteriormente, enquanto que dois subgêneros são sinônimos. Dois gêneros segregados anteriormente de Baccharis e duas seções previamente existentes no gênero são realocadas em nível subgenérico. O levantamento de nomes publicados nas categorias taxonômicas de seção e série totalizaram 68 seções e 13 séries, quatro novas seções e três novos posicionamentos ao nível de seção são propostos para acomodar táxons que não correspondiam a qualquer das seções previamente descritas, enquanto que 22 seções foram sinonimizadas. Estes procedimentos permitiram reconhecer 47 seções, embora seja esperado que esse número diminua com a realização de futuros estudos baseados em maior amostragem. Os nomes aceitos ao nível de espécie totalizaram 433 táxons que foram posicionados na categoria infragenérica mais inclusiva possível à luz dos dados disponíveis atualmente. Baccharis subgen. Tarchonanthoides Heering, um grupo restrito aos campos e savanas do sudeste da América do Sul, foi definido como um alvo adequado para uma revisão taxonômica precursora devido ao número reduzido de espécies, área de ocorrência restrita quando comparado aos demais subgêneros e distinção morfológica. Esta é a primeira tentativa de proceder a revisão taxonômica de um subgênero de Baccharis em concordância com um sistema filogenético e livre de qualquer limitação geográfica. A recircunscrição de Baccharis subgen. Tarchonanthoides envolve a sinonimização de Lanugothamnus, e a exclusão de uma seção do subgênero, no sentido de torná-lo monofilético. Outras ações nomenclaturais e taxonômicas são necessárias como a designação de lectótipos, a proposição de um novo status, novas combinações, novas sinonimizações e o esclarecimento de conceitos de espécie previamente aplicados de forma equivocada para alguns nomes de espécies. Duas seções recircunscritas e 13 espécies são aceitas nesta revisão taxonômica de B. subgen. Tarchonanthoides, um grupo diversificado nas vegetações abertas do Sudeste da América do Sul, ocorrendo no Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai. Descrições morfológicas dos táxons infragenéricos são fornecidas, assim como uma chave taxonômica, descrições, dados sobre etimologia, distribuição e habitats, fenologia, estado de conservação, nomes em vernáculo e listas de espécies examinados, pranchas em nanquim, fotografias e mapas de distribuição para todas as espécies aceitas no subgênero. Paralelamente aos objetivos principais, expedições exploratórias a campo e o estudo de espécimes em herbários possibilitaram a descrição de oito novas espécies: B. dichotoma, B. hemiptera, B. magnifica, B. napaea, B. nebularis, B. obdeltata, B. simplex e B. umbellata (AU)

Processo FAPESP: 10/00519-8 - Sistemática de Baccharis (Asteraceae: Astereae)
Beneficiário:Gustavo Heiden
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado