Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito imunodepressor do exercício em equinos submetidos a provas de enduro de diferentes distâncias, suplementados ou não com glutamina

Texto completo
Autor(es):
Renata Farinelli de Siqueira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Data de defesa:
Membros da banca:
Wilson Roberto Fernandes; Milton Ricardo Azedo; Cristina de Oliveira Massoco Salles Gomes; Guillermo Guadalupe Laguna Legorreta; Alice Maria Melville Paiva Della Libera
Orientador: Wilson Roberto Fernandes
Resumo

Os objetivos desse trabalho foram avaliar se provas de enduro de diferentes distâncias causam estresse em equinos treinados, avaliar os efeitos das provas de enduro de diferentes distâncias sobre a atividade dos linfócitos e a relação com a imunocompetência dos equinos atletas e investigar a suplementação alimentar com glutamina como possível atenuante desse efeito depressivo do estresse sobre o sistema imunológico. Foram utilizados 33 cavalos treinados para enduro, 13 em 80 km, 14 em 120 km e 6 em 160 km, avaliados em 4 provas. Metade dos cavalos de cada categoria recebeu suplementação com glutamina via oral 30 dias antes e 14 dias após as provas. Amostras de sangue venoso foram colhidas antes (M0), imediatamente após a última inspeção veterinária (M1), 3 horas depois (M2) e nos haras 3 (M3), 7 (M4), e 14 dias (M5). Houve aumento dos níveis de cortisol, amônia, neutrófilos, aumento da relação neutrófilos/linfócitos e diminuição da contagem de linfócitos em M1 e M2 em todos os cavalos. Houve diminuição da relação CD4/CD8 nos animais de 120 (M2, M3 e M4) e 160 km (M3) que não receberam suplementação e diminuição de IFN em todos os cavalos. Nos suplementados, houve diminuição da relação CD4/CD8 em 80 (M2), 120 (M2 e M3) e 160 km (M3 e M4) e aumento tardio de IFN (M4 e M5) nos cavalos de 80 e 120 km. As concentrações de IL-2, IL-4 e IL-10 aumentaram após a prova em todos os cavalos, porém, nos suplementados o aumento foi maior ou mais prolongado. Com base nesses resultados, não foi possível observar estresse nos animais, nem imunodepressão, embora a suplementação tenha exercido efeito sobre os linfócitos. (AU)

Processo FAPESP: 10/50661-5 - Efeito imunodepressor do exercício em equinos submetidos a provas de enduro, suplementados ou não com glutamina
Beneficiário:Renata Farinelli de Siqueira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado