Busca avançada
Ano de início
Entree

Marisa Dolhnikoff

CV Lattes


Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Estudos Avançados (IEA)  (Instituição-sede da última proposta de pesquisa)
País de origem: Brasil

Possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo (1985), doutorado em Medicina (Patologia) pela Universidade de São Paulo (1993), pós-doutorado pelo Meakins-Christie Laboratories, McGill University, Montreal, Canadá (1995), Livre Docência pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2007). Atualmente é Professora Associada da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Coordenadora do Programa Tutoria Acadêmica da FMUSP. Coordenadora do Conjunto de Projetos "Estudos da COVID-19 pela Autópsia Minimamente Invasiva Guiada Por Ultrassom". Responsável pelas Disciplinas de Graduação: Patologia Especial do Sistema Respiratório, Sistema Respiratório I e II (UC5) da FMUSP. Patologista responsável pelas biópsias pulmonares de pacientes do complexo HC-FMUSP. Responsável pelo treinamento de residentes de Anatomia Patológica do HC-FMUSP em Patologia Pulmonar. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Patologia Pulmonar, Patologia de Autópsia, Autópsia Minimamente Invasiva. Publicações indexadas no Pubmed: 123 Índice H: 33 (Web of Science) Citações: 3279 (Fonte: Currículo Lattes)

Auxílios à pesquisa
Bolsas no país
Bolsas no Exterior
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 30/05/2020
Colaboradores mais frequentes em auxílios e bolsas FAPESP
Contate o Pesquisador

Este canal da BV/FAPESP deve ser utilizado tão somente para mensagens, referentes aos projetos científicos financiados pela FAPESP.


 

 

 

 

Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

Autópsias em mortos por COVID-19 podem contribuir para o tratamento de casos graves


Estreia em 6 de maio de 2020 - Agência FAPESP. Em entrevistas concedidas à Agência FAPESP, os pesquisadores Marisa Dolhnikoff e Paulo Saldiva, da Faculdade de Medicina da USP (FM-USP), explicam como autópsias estão revelando a agressividade da COVID-19 e contribuindo para o tratamento de casos graves da doença. Amostras de tecidos pulmonares e de outros órgãos são coletadas por meio de técnicas minimamente invasivas e com o consentimento das famílias. O objetivo do trabalho, parte de um projeto apoiado pela FAPESP, é disponibilizar informações à comunidade médica que possam ser úteis no combate à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Publicações acadêmicas

(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

MOHALLEM, Soraya Vecci. Influência da poluição atmosférica de São Paulo na fertilidade feminina de camundongos.  109 f. Tese (Doutorado) -  Faculdade de Medicina.  Universidade de São Paulo (USP).  São Paulo.  (00/01552-7

LANCAS, Tatiana. Caracterização das fases imediata e tardia da resposta inflamatória de tecido pulmonar periférico de cobaias sensibilizadas. Dissertação (Mestrado) -  Faculdade de Medicina.  Universidade de São Paulo (USP).  São Paulo.  (03/10080-0

VERAS, Mariana Matera. Efeitos da poluição do ar da cidade de São Paulo sobre o processo reprodutivo de camundongos com ênfase no desenvolvimento da placenta e cordão umbilical. Tese (Doutorado) -  Faculdade de Medicina.  Universidade de São Paulo (USP).  São Paulo.  (05/54857-3

MORALES, Maina Maria Barbosa. Caracterização das alterações estruturais e de matriz extracelular de pequenas vias aéreas em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo. Tese (Doutorado) -  Faculdade de Medicina.  Universidade de São Paulo (USP).  São Paulo.  (06/58322-0

MACEDO, Graziela de. Caracterização da doença pulmonar intersticial: um estudo de autópsia em crianças.  104 f. Tese (Doutorado) -  Faculdade de Medicina.  Universidade de São Paulo (USP).  São Paulo.  (00/01974-9

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: