Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Agroforestry system as a buffer zone in a Brazilian Atlantic Forest conservation unit: an artificial nest predation perspective

Título (Português): Sistema Agroflorestal como zona de amortecimento em uma Unidade de Conservação da Mata Atlântica brasileira: uma perspectiva de predação de ninho artificial
Texto completo
Autor(es):
Galvao, Camila Andre [1] ; Francisco, Mercival Roberto [1] ; Schlindwein, Marcelo Nivert [1]
Número total de Autores: 3
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Univ Fed Sao Carlos, Dept Ciencias Ambientais, Rod Joao Leme dos Santos Km 110-SP, BR-18052780 Sorocaba, SP - Brazil
Número total de Afiliações: 1
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Biota Neotropica; v. 18, n. 1, p. -, 2018.
Citações Web of Science: 0
Resumo

Abstract Here we inferred about the effectiveness of a buffer zone composed by an Agroforestry System (AS) for providing reproductive conditions for Atlantic Forest birds by comparing artificial nest predation rates between a buffer zone, a primary forest area, and a set of small and isolated Atlantic Forest fragments. We have used 237 nests throughout the three areas, of which 100 (42.2%) were depredated. Predation frequencies were 28.6% in the continuous forest, 100% in the AS, and 51.9% in the fragments, differing significantly. We could detect nest predators in 48 of the 100 depredated nests (48%) using camera traps. Differences between areas may be attributed to changes in nest predator species. We support previous evidences that the conservation of bird communities may not rely on buffer zones as an extension of their breeding habitats. (AU)

Resumo

Resumo O presente estudo teve como objetivo avaliar a efetividade de uma zona tampão composta por um sistema agroflorestal (SA) para a reprodução de aves da Mata Atlântica. Para isto, as porcentagens de predação em ninhos artificiais foram comparadas entre as zonas tampão, uma área de floresta primária e em um conjunto de fragmentos de Mata Atlântica pequenos e isolados. Um total de 237 ninhos foi utilizado nas três áreas e 100 deles (42,2%) foram predados. As porcentagens de predação foram 28,6% na área de floresta primária, 100% no SA e 51,9% nos fragmentos, havendo diferença significativa. Os predadores puderam ser identificados em 48 das 100 predações (48%) com o uso de câmeras trap, o que gerou evidências de que as diferenças possam ser atribuídas a mudanças na composição de espécies de predadores entre as áreas. Esta análise dá suporte a estudos prévios de que as zonas tampão não devam ser consideradas como extensão dos hábitats naturais para a conservação de comunidades de aves. (AU)

Processo FAPESP: 10/52315-7 - Predadores de topo de cadeia alimentar
Beneficiário:Pedro Manoel Galetti Junior
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular