Busca avançada
Ano de início
Entree

Predadores de topo de cadeia alimentar

Processo: 10/52315-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de março de 2011 - 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Convênio/Acordo: CNPq - SISBIOTA-Brasil
Pesquisador responsável:Pedro Manoel Galetti Junior
Beneficiário:Pedro Manoel Galetti Junior
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Assunto(s):Animais predadores  Cadeia alimentar  Aves aquáticas  Felinos (criação)  Peixes 

Resumo

A rede Predadores de Topo de Cadeia Alimentar está constituída por quatorze projetos que se integram no eixo focai do impacto que a ausência dos predadores de topo de cadeia alimentar numa potencial extinção teria sobre os diferentes biomas. A rede tem por objetivo geral entender o papel efetivo dos predadores de topo de cadeia alimentar nos seus respectivos ambientes (biomas aquáticos e terrestres), estudando seus requerimentos biológicos e ecológicos, sua estrutura demográfica e genético-populacional, comportamento reprodutivo, requerimentos de paisagem e efeitos de defaunação. Assim, a Rede irá estudar no projeto l,os movimentos de dispersão, predação e uso da paisagem por puma concolor em uma área altamente fragmentada do estado de São Paulo, sudeste do Brasil; Projeto 2, estimativas de densidade obtidas por meio da análise do DNA fecal em paisagens altamente fragmentadas no sudeste do Brasil; Projeto 3, dinâmica populacional e demografia de aves em áreas de diferentes diversidade de predadores; Projeto 4, monitoramento biológico pelo tamanho populacional de colônias de aves aquáticas de topo de cadela alimentar no pantanal; Projeto 5, identificação de predadores de ninhos de aves (Passeriformes) numa área de Mata Atlântica do sudeste brasileiro; Projeto 6, ecologia, estudo clínico e epidemiológico de carnívoros na região de influência do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro, MG; Projeto 7, padrões macroecológicos e biogeografia da conservação de predadores de topo brasileiros: uma abordagem filogenética e funcional; Projeto 8, adequabilidade ambiental dos biomas brasileiros à ocorrência das espécies de felinos neotropicais; Projeto 9, defaunação e dlspersores de sementes; Projeto 10, ecologia dos grandes peixes ictiófagos da bacia do rio Uruguai e sua influência na estrutura da comunidade de peixes; Projeto 11, ecologia de peixes (piscivoros) na Amazônia; Projeto 12, variação genética e estrutura populacional dos grandes peixes migradores na Bacia Platina; Projeto 13, sistemática molecular, filogeografia e ecologia de grupos crípticos de peixes na hidrografia costeira do Maranhão; Projeto 14, educação ambiental para conservação da biodiversidade e papel dos predadores de topo de cadeia Assim, os dados biológicos, ecológicos, genéticos e de paisagens serão utilizados para a composição de uma avaliação do impacto que a eventual extinção dos predadores de topo de cadeia alimentar promoveria nesses diferentes biomas e permitir a constituição de metas e de prioridades para conservação desses ambientes. Pretende-se ainda, disponibilizar toda informação científica para auxiliar a definição de políticas públicas de conservação dos biomas e das espécies, decodificar o conhecimento produzido para a sociedade em atividades de divulgação científica e desenvolver Instrumentos de educação ambiental, utilizando os predadores de topo de cadeia alimentar como espécies bandeiras de grande capacidade de sensibilização da sociedade e dos governos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Onça-pintada pode desaparecer da Mata Atlântica 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.