Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Planktic Cyanobacteria from São Paulo State, Brazil: Chroococcales

Título (Português): Cianobactérias planctônicas do Estado de São Paulo, Brasil: Chroococcales
Texto completo
Autor(es):
Célia L. Sant'Anna ; Maria Teresa de P. Azevedo ; Pedro Américo C. Senna ; Jirí Komárek ; Jaroslava Komárková
Número total de Autores: 5
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: BRAZILIAN JOURNAL OF BOTANY; v. 27, n. 2, p. 213-227, Jun. 2004.
Resumo

The biodiversity studies of planktic cyanobacteria started in 1997 with intensive collecting in different water bodies of São Paulo State. Due to the problems brougth by eutrophication and cyanobacterial blooms, the samplings were concentrated in reservoirs of Alto Tietê region that supply drinking water to millions of people. The samples were collected with 20 µm plankton net or Van Dorn's bottle. Part of each one was preserved in formaldehyde or lugol solution and part was isolated. The culture strains were kept in BG11 and/or AMS1 media. Based on natural and culture material, 26 species were identified belonging to the families Chroococcaceae (2 taxa), Merismopediaceae (12), Microcystaceae (7) and Synechococcaceae (5). Among these species, six are potentialy toxic: Aphanocapsa incerta (Lemmerm.) Cronberg & Komárek, Microcystis aeruginosa (Kütz.) Kütz., M. botrys Teiling, M. panniformis Komárek et al., M. wesenbergii (Komárek) Komárek, and Radiocystis fernandoi Komárek & Komár.-Legn. Bacularia and Coelosphaeriopsis are genera reported for the first time in Brazil. (AU)

Resumo

Estudos de biodiversidade de cianobactérias planctônicas iniciaram-se em 1997 com intenso esquema de coletas em diferentes corpos d'água do Estado de São Paulo. Em virtude dos problemas gerados pela eutrofização e pelas frequentes florações de cianobactérias, as amostragens foram concentradas em reservatórios da região do Alto Tietê que fornecem água para milhões de pessoas. As amostras foram coletadas com rede de plâncton de 20 µm de abertura de malha ou com Garrafa de Van Dorn. Parte de cada amostra foi preservada com formol ou lugol e parte foi isolada e mantida em cultura em meios BG11 e/ou AMS1. Com base no estudo de material de campo e de cultura, 26 espécies foram identificadas, pertencentes às famílias Chroococcaceae (2 taxons), Merismopediaceae (12), Microcystaceae (7) e Synechococcaceae (5). Dentre estas espécies, seis são potencialmente tóxicas: Aphanocapsa incerta (Lemmerm.) Cronberg & Komárek, Microcystis aeruginosa (Kütz.) Kütz., M. botrys Teiling, M. panniformis Komárek et al., M. wesenbergii (Komárek) Komárek, e Radiocystis fernandoi Komárek & Komár.-Legn. Bacularia e Coelosphaeriopsis são gêneros citados pela primeira vez para o Brasil. (AU)

Processo FAPESP: 97/05488-7 - Cyanophyceae / cyanobactéria planctônicas do Estado de São Paulo
Beneficiário:Célia Leite SantAnna
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular