Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise morfo-fisiológica de fases críticas no desenvolvimento do sistema cardiorrespiratório em girinos

Processo: 18/04707-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Wilfried Klein
Beneficiário:Wilfried Klein
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Ecofisiologia  Estereologia  Troca gasosa 

Resumo

Poças temporárias podem apresentar grandes variações físico-químicas, tais como temperatura, pH e oxigênio dissolvido. Diversas espécies de anuros depositam seus ovos em corpos d'agua temporários mantidos exclusivamente por chuvas. Além do estresse causado pelas variações das condições ambientais das poças, em período de seca os girinos estão sujeitos a condições de estresse hídrico, hipóxia ou até mesmo anóxia. Na fase larval do desenvolvimento de anuros a respiração pode acontecer de maneira bimodal, sendo as brânquias (interna e externa) responsáveis pela respiração aquática e os pulmões pela respiração aérea. No entanto, o processo de desenvolvimento dos pulmões, assim como seu tamanho e funcionalidade, é fortemente afetado por fatores ambientais, tais como, temperatura e disponibilidade de água e oxigênio. Considerando as flutuações físico-químicas das poças temporárias, e a plasticidades dos anuros em se desenvolverem nesses ambientes, nos deparamos com os seguintes questionamentos: existe alguma fase durante a ontogenia dessas espécies de anuros que permite antecipar ou retardar o desenvolvimento da respiração pulmonar em resposta a estressores ambientais? Se caso houver, ela se difere entre os girinos expostos a estressores ambientais? Em caso de antecipação do desenvolvimento dos pulmões, eles serão funcionais? Esses questionamentos são importantes para entendermos como essas espécies se desenvolvem no seu habitat natural e a plasticidade na alteração cronológica do desenvolvimento de certas estruturas, além de fomentar futuras pesquisas que possam abordar de maneira comparativa a plasticidade da antecipação ou do retardo cronológico de estruturas que possam ser vantajosas para sobrevivência dessas espécies nesses ambientes. O presente trabalho tem como objetivo analisar e descrever o desenvolvimento do sistema respiratório, em seus aspectos morfológicos (estereologia) e funcionais (respirometria), de duas espécies de anuros em condições de hipóxia e estresse hídrico. A hipótese desse trabalho prenuncia que espécies de poças temporárias poderão desenvolver pulmões na fase de girino e que em condição de estresse irão desenvolver a respiração aérea mais rápido do que os girinos em condições de normóxia e hidratados. Assim, esperamos um período curto de respiração aquática e a antecipação da formação de pulmões durante o desenvolvimento desses animais, sendo os pulmões já funcionais. (AU)