Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação molecular dos genes da família das glutationas s transferase em pacientes com câncer colorretal esporádico

Processo: 18/17816-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Eny Maria Goloni Bertollo
Beneficiário:Eny Maria Goloni Bertollo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia molecular  Neoplasias colorretais 

Resumo

INTRODUÇÃOAvaliar a associação de polimorfismos em GSTs no risco de CCRE, progressão tumoral e sobrevida dos pacientes.MÉTODOSUm estudo de caso-controle foi realizado em 970 indivíduos da população brasileira (232 indivíduos do grupo de casos com câncer colorretal e 738 indivíduos do grupo controle sem histórico de câncer). Técnicas de PCR multiplex e PCR-RFLP foram utilizadas para a genotipagem dos polimorfismos. O tumor foi classificado de acordo com TNM: extensão tumoral (T), linfonodos acometidos (N) e presença de metástase (M). Regressão logística, regressão logística múltipla e análise de sobrevivência foram utilizados para analisar os dados. Os resultados foram apresentados em termos de odds ratio (OR) e intervalo de confiança de 95% (IC). O nível de significância foi estabelecido em 5% (P d 0,05).RESULTADOSIdade igual ou superior a 62 anos (OR = 8,79; IC95% = 5,90-13,09, P <0,01) e sexo feminino (OR = 2,91; IC95% = 1,74-4,37; P <0,01) foram associadas a risco aumentado de CCRE A análise dos polimorfismos revelou associação entre os polimorfismos do GSTM1 e risco de CCRE (OR = 1,45; IC95% = 1,06-2,00; P = 0,02), bem como entre GSTT1 e risco reduzido da doença (OR = 0,65; IC 95% = 0,43-0,98, p = 0,04). Uma interação entre a presença do alelo selvagem do polimorfismo Ile105Val GSTP1 e o consumo de tabaco no risco de CCRE (OR = 2,33; IC 95% = 1,34-4,05; P = 0,05) foi observada. Houve associação entre o genótipo nulo GSTM1 e a presença de tumores avançados (OR = 2,33; IC95% = 1,23-4,41; P = 0,009), bem como aumento do risco de CCRE na presença de uma combinação de GSTT1 não- genótipos nulos / GSTM1 nulos (OR = 1,50; IC95% = 1,03-2,19; P = 0,03) e GSTT1 não-nulo / GSTM1 nulo / GSTP1 Val * (OR = 1,85; IC95% = 1,01-3,36, P = 0,04). Genótipos nulos GSTT1 não nulos / GSTM1 combinados (OR = 2,40; IC95% = 1,19-4,85; P = 0,01) e GSTT1 não-nulo / GSTM1 nulo / GSTP1 Val * (OR = 2,92; IC95% = 1,05-8,12 P = 0,04) foram associados à progressão tumoral. Polimorfismos não foram associados à sobrevida de pacientes com CCRE.CONCLUSÃOIndivíduos com 62 anos ou mais e do sexo feminino são mais suscetíveis ao CCRE. Polimorfismos dos genótipos nulos GSTT1 e GSTM1 modulam a suscetibilidade ao CCRE na população estudada. (AU)