Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de quitosana e inoculantes microbianos como aditivos em silagens de cana-de- açúcar, capim-mombaça, grão úmido reidratado e planta inteira de soja

Processo: 17/15457-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2018 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Mariana Campana
Beneficiário:Mariana Campana
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Pesq. associados:Mariana Campana ; Tiago Antonio Del Valle
Assunto(s):Ensilagem  Fermentação  Digestibilidade  Leguminosae 

Resumo

A utilização de inoculantes microbianos em silagens tem sido uma prática comum para reduzir as perdas fermentativas, aumentar a estabilidade aeróbica e melhorar a qualidade da silagem produzida. Os inoculantes convencionais utilizam basicamente bactérias produtoras de ácido lático homofermentativas, enquanto que os inoculantes de segunda geração são compostos por bactérias láticas heterofermentativas, que são mais eficientes em silagens que apresentam elevados teores de carboidratos solúveis. Mais recentemente, foi proposta a utilização de quitosana sobre a fermentação da silagem de cana-de-açúcar, com resultados promissores sobre as perdas fermentativas, a composição química e estabilidade aeróbica da silagem sendo inclusive, superior aos inoculantes de segunda geração. No entanto, em silagens produzidas a partir de materiais com menores teores de carboidratos não fibrosos, não é de nosso conhecimento estudos que tenham avaliado a utilização de quitosana como aditivo, em comparação aos inoculantes homofermentativos e heterofermentativos. Dentre estas silagens, dada à relevância e ao crescente interesse no meio produtivo nacional, destacam-se as silagens de milho úmido reidratado, de capim e de planta inteira de soja. Desta forma, o presente projeto tem por objetivo avaliar os efeitos da inclusão de quitosana e de inoculantes homo e heterofermentativos sobre os parâmetros fermentativos, perdas, composição bromatológica, fracionamento de proteínas e carboidratos, microbiologia e estabilidade aeróbica das silagens de cana-de-açúcar, milho úmido reidratado, capim-Mombaça e planta inteira de soja. Serão confeccionados 160 silos experimentais (20 L), nos quais serão avaliados a inclusão de aditivos [controle (CONT): sem a adição de aditivos; quitosana (QUI): com a adição de 6,0 g de quitosana/kg de MS; inoculantes homofermentativos (IHO): com a adição de 2 mg/ kg MN de inoculante homofermentativo, contendo Lactobacillus plantarum e Pediococcus pentosaceus; e inoculante heterofermentativos (IHE): com a adição de 2 mg / kg MN de inoculante heterofermentativo, contendo Lactobacillus buchneri] o tipo de silagem [cana-de-açúcar (CAN), milho úmido reidratado (MUR), capim-Mombaça (CAP) e planta inteira de soja (SOJ)]. Os silos serão abertos após 60 dias. Serão quantificadas as perdas por líquidos e sólidos, assim como a recuperação da matéria seca. Uma alíquota do material (1 kg) será submetido a prensagem para a obtenção do líquido e análises de pH, NH3-N, etanol e ácidos orgânicos. A silagem será avaliada quanto à sua composição bromatológica e fracionamento de proteína e carboidratos. Ainda, serão avaliados contagem de microrganismos e estabilidade aeróbica da silagem. (AU)