Busca avançada
Ano de início
Entree

Purificação das imunoglobulinas IgM e IgG a partir de plasma humano com grau de pureza para uso endovenoso

Processo: 17/26540-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2018 - 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Elisabeth Cheng
Beneficiário:Elisabeth Cheng
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Purificação de proteínas  Imunoglobulina G  Imunoglobulina M  Cromatografia por troca iônica 

Resumo

A necessidade de purificação de proteínas terapêuticas a partir do plasma continua a crescer em nível global, mesmo com o desenvolvimento de produção de vários correspondentes recombinantes. Atualmente a IgG é o hemoderivado de maior interesse e responde por metade do mercado mundial. O interesse em IgM derivado de plasma tem crescido devido ao aumento de evidências que sugerem que esta proteína pode apresentar atividades anti-inflamatória e imunomodulatória, além de potencial aplicação como marcador tumoral. A fim de que se possa explorar todo o seu potencial, é importante que grandes quantidades de IgM esteja disponível, a baixo custo, para a realização de ensaios clínicos. Neste projeto pretendemos estudar a purificação de imunoglobulinas a partir de duas estratégias. Em projetos anteriores o nosso grupo de pesquisa desenvolveu um método eficiente de obter a IgG com alto grau de pureza (90%). O objetivo da primeira estratégia a ser explorada, portanto, é aprimorar tal processo com vistas a obter a IgG humana com pureza ainda superior que seja suficiente para uso endovenoso (pureza > 95%). Será investigada a possibilidade de emprego uma segunda coluna de troca aniônica ou uma troca catiônica. Como ainda não há uma legislação definida da pureza necessária para que a IgM possa ser empregada comercialmente, nós propomos a remover a IgA, que é uma proteína contaminante, de efeitos colaterais indesejáveis conhecidos. Para tal será investigada a possibilidade de emprego de uma coluna de troca catiônica e uma coluna de gel filtração. Na segunda estratégia, o objetivo é a obtenção de IgM diretamente a partir do plasma, de uma fração coletada da coluna de gel filtração Sepharose 4FF. A vantagem desta estratégia consiste na obtenção de um concentrado de IgM já na primeira etapa de purificação. Esta estratégia é interessante quando se tem um plasma em que o objetivo principal é a purificação de IgM. Serão estudadas as purificações em coluna de troca aniônica ANX Sepharose FF e membrana de troca aniônica Sartobind Q. (AU)