Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabelecimento de um modelo de pele tridimensional para o desenvolvimento e avaliação da eficácia de formulações cosméticas fotoprotetoras e antienvelhecimento

Processo: 18/01160-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2019 - 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise e Controle de Medicamentos
Pesquisador responsável:Ana Luiza Scarano Aguillera Forte
Beneficiário:Ana Luiza Scarano Aguillera Forte
Empresas:Eleve PDI Pesquisa e Desenvolvimento Ltda
ELEVE SCIENCE Pesquisa e Desenvolvimento Ltda
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: Ribeirão Preto
Pesq. associados:Maria José Vieira Fonseca
Vinculado ao auxílio:16/08453-2 - Estabelecimento de um modelo de pele tridimensional para o desenvolvimento e avaliação da eficácia de formulações cosméticas fotoprotetoras e antienvelhecimento, AP.PIPE
Bolsa(s) vinculada(s):19/05251-8 - Estabelecimento de um modelo de pele tridimensional para o desenvolvimento e avaliação da eficácia de formulações cosméticas fotoprotetoras e antienvelhecimento, BP.PIPE
Assunto(s):Cultura de células  Raios ultravioleta  Fotoquimioterapia  Cosméticos  Envelhecimento da pele  Protetores solares  Fotoproteção 

Resumo

Os métodos alternativos ao uso de animais para ensaios de segurança e eficácia são de interesse mundial em diversos setores da economia. Um forte movimento político e social tem forçado, por décadas, a busca por métodos alternativos in vitro, como aqueles que empregam modelos de pele tridimensionais, para registro de produtos e ingredientes com o objetivo de avaliação da segurança dos mesmos. Com relação à implementação destes modelos, a indústria cosmética é considerada a principal responsável pelos sucessos técnicos e comerciais iniciais com a implementação e validação de testes com este tecido. Um importante marco regulatório se deu em 2013 com o banimento de testes de produtos cosméticos empregando animais na Europa. No Brasil, a Anvisa divulgou a RN Nº17 de 3 de julho de 2014 onde os métodos alternativos validados pela OECD deverão ser aplicados para cosméticos até setembro de 2019. Movimentações regulatórias também estão ocorrendo em outros seguimentos como de produtos agroquímicos e de produtos médico hospitalares. No primeiro caso através da ABNT NBR 14725-2 (2009) que possibilita o emprego de modelos de pele validados pela OECD para fins de registro de agrotóxicos e no último através da ISO, 2010. 10993-10:2010 -Biological Evaluation of Medical Devices - Part 10: Tests for Irritation And Skin Sensitization. Em adição, o modelo de pele tridimensional também tem demonstrado inúmeras versatilidades como a avaliação da eficácia, como em estudos para fotoprotetores por detectar os danos produzidos pela radiação ultravioleta. A exposição à radiação ultravioleta (RUV) promove impactos biológicos na pele que podem levar ao desenvolvimento de todos os tipos de câncer de pele, cuja prevalência é muito alta (corresponde a 25% de todos os tumores registrados no Brasil). O uso de filtros solares é apontado como uma das principais estratégias para redução dos danos da RUV sobre a pele, bem como o câncer. Contudo, os atuais parâmetros utilizados para avaliar a fotoproteção não são representativos para proteção contra os reais danos às estruturas e componentes celulares, incluindo DNA, lipídeos e proteínas, além de exigirem estudos em voluntários, levando a importantes desvantagens no campo ético e financeiro. Neste contexto, a inovação proposta neste projeto é o desenvolvimento de uma plataforma de pele tridimensional para realização de estudos pré-clínicos (modelo in vitro) que englobam estudos de (i) segurança e (ii) eficácia com foco em avaliação de formulações cosméticas fotoprotetoras e antienvelhecimento. Esta plataforma possibilitará atender às demandas iminentes do mercado de produtos cosméticos, químicos e médico-hospitalares, forçados por questões regulatórios e sociais para substituição do uso de animais em estudos pré-clínicos para pesquisa e registro de produtos, além de também promover a inovação através da obtenção de um produto baseado em pele tridimensional contendo melanócitos que supera os produtos existentes no mercado internacional e que permite uma avaliação viável dos efeitos de fotoprotetores e de formulações para controle de envelhecimento sobre a pele humana. (AU)