Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação farmacológica de novos compostos com potencial aplicação terapêutica nos transtornos centrais

Processo: 18/23087-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Rosangela Gonçalves Peccinini
Beneficiário:Rosangela Gonçalves Peccinini
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesq. associados:Marcelo Tadeu Marin
Assunto(s):Tratamento farmacológico  Desenvolvimento de fármacos  Farmacocinética  Nootrópicos  Levetiracetam 

Resumo

A farmacoterapia possui ampla aplicação sobre uma grande variedade de doenças, é usualmente de menor custo e risco e é o método mais frequentemente utilizado na clínica para o tratamento e prevenção de doenças agudas e crônicas. É imprescindível que o desenvolvimento de alternativas terapêuticas ocorra continuamente, uma vez que novas pandemias se apresentam nos tempos modernos. A expectativa de vida da população mundial aumentou significativamente nos últimos anos e este fato tem sido atribuído, em grande parte, ao desenvolvimento tecnológico atrelado ao acesso a produtos farmacêuticos, que aumentaram a sobrevida e a qualidade de vida através da supressão de doenças potencialmente fatais e desaceleração dos processos de "envelhecimento fisiológico", conferindo maior autonomia ao indivíduo nos extremos da idade. O processo natural de envelhecimento humano está relacionado a alterações neuronais associadas ao aparecimento de uma série de transtornos do sistema nervoso central que acometem os processos cognitivos - entre os quais, a memória, a atenção, raciocínio, linguagem e compreensão. Ainda, déficits cognitivos podem também estar associados a algumas situações patológicas, entre elas a demência associada à Doença de Parkinson e à Doença de Alzheimer, esquizofrenia, depressão, traumatismo craniano, epilepsia entre outras. O tratamento de déficits cognitivos envolve a aplicação de medicamentos nootrópicos, que frequentemente apresentam múltiplas aplicações terapêuticas em transtornos centrais, mesmo como adjuvantes, como nas epilepsias. Considerando a extensa aplicação terapêutica do levetiracetam (LEV) como nootrópico, pesquisadores do Milagre Research Group do Instituto de Química da UNESP Araraquara realizaram a síntese quimioenzimática do LEV e de uma série de análogos e estas moléculas inéditas, com potencial atividade nootrópica e anticonvulsivante, ainda não foram avaliadas quanto aos aspectos farmacológicos. Ainda, outros compostos com potencial nootrópico, que atuam como antagonistas de receptores H3, foram obtidos pelo grupo de pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e, da mesma forma, estes novos candidatos a fármaco ainda não foram estudados. A presente proposta reúne projetos de parceria com estes pesquisadores da área de síntese com o objetivo de avaliar estes novos compostos com potencial aplicação sobre transtornos centrais, com abordagens in vitro e in vivo, e assim fornecer subsídios para o desenvolvimento de produtos farmacêuticos cuja aplicação terapêutica resulte em desfecho clínico favorável, contribuindo para aumentar a qualidade e expectativa de vida da população. (AU)