Busca avançada
Ano de início
Entree

"marcadores diagnósticos e prognósticos aplicáveis na prática clínica para pacientes com nódulos tireoidianos: validação da imunoexpressão das proteínas HMGA2, CLDN10 e LAMB3"

Processo: 18/26126-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Custódio Domingues
Beneficiário:Maria Aparecida Custódio Domingues
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados: Flávia Fazzio Barbin
Assunto(s):Glândula tireoide  Citopatologia 

Resumo

O câncer de tireoide (CT) é o mais comum da região da cabeça e pescoço e do sistema endócrino. O CT pode ser suspeitado a partir da palpação de um nódulo na tireóide durante o exame físico, o que leva à solicitação de uma ultrassonografia de tireóide. A punção aspirativa por agulha fina (PAAF) associada a este exame de imagem é o padrão-ouro para o diagnóstico pré-operatório de câncer de tireóide. Os achados citopatológicos da PAAF de tireóide são classificados em seis categorias (de I a VI), de acordo com o Sistema de Bethesda (SB), 2017, que especifica também o manejo recomendado para cada uma delas. Quando o caso diagnosticado como categoria III, IV ou V, procede-se muitas vezes à tireoidectomia total do paciente, mas, em muitos casos, os achados histopatológicos são de lesões benignas. Pesquisas moleculares têm sido feitas à procura de marcadores que diferenciem entre benignidade e malignidade nos materiais de PAAF de tireóide, sobretudo nos casos classificados como III, IV e V, mas não foram encontrados até este momento marcadores que façam essa distinção com precisão. Torna-se, então, essencial, que haja marcadores capazes de distinguir tais lesões. Estudos prévios do grupo demonstraram que os genes HMGA2, CLDN10 e LAMB3 exibem alta sensibilidade e especificidade na diferenciação entre lesões benignas e malignas de tireoide. Os objetivos deste projeto são: validar a aplicação desses marcardores (pela pesquisa imuno-histoquímica -IHQ) em cell-blocks de PAAFs de tireoide revisadas e classificadas como categoria III, IV ou V pelo SB; correlacionar tais achados ao diagnóstico anatomo-patológico da peça cirúrgica e ao prognóstico dos pacientes estudados.Para isso serão revisados, de forma retrospectiva, 100 casos de PAAF de nódulos tireoidianos, classificados segundo o SB, 2017, com coleta de informações clinicas e anatomo patologico das peças cirurgicas. O cell block será submetido a estudo imuno-histoquímico para as proteinas codificadas pelos genes determinados em estudos prévios, nas amostras diagnosticadas como categoria III, IV e V. Espera-se validar tais proteínas como potencial marcadores de malignidade e estudar o potencial prognostico destas. (AU)