Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões de diversidade biológica e coexistência humano-fauna: componentes que sustentam os serviços ecossistêmicos

Processo: 18/16662-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Convênio/Acordo: Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF)
Pesquisador responsável:Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz
Beneficiário:Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Instituição parceira: Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). Fundação para Conservação e Produção Florestal; Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais
Pesq. associados:Adriano Garcia Chiarello ; Ana Cristyna Reis Lacerda ; Bianca Ingberman ; Bruno Henrique Saranholi ; Carlos Augusto da Silva Peres ; Daiane Cristina Carreira ; Juliano André Bogoni ; Leticia Prado Munhoes ; Lilian Bonjorne de Almeida ; Marcelo Magioli ; Marcelo Zacharias Moreira ; Mariana Bueno Landis ; Roberta Montanheiro Paolino ; Roberto Fusco Costa ; Rogerio Cunha de Paula ; Ronaldo Gonçalves Morato ; Silvio Marchini ; Yuri Geraldo Gomes Ribeiro

Resumo

Nossa proposta é focada na área temática 2.1.1 (i) item a Da Biodiversidade: Pesquisa, inventário e caracterização da biodiversidade existente na região, e dos impactos a que está sujeita; e 2.1.1 (ii) Pesquisa para o estabelecimento de modelos para avaliação da percepção social dos serviços ecossistêmicos; Pesquisa para o estabelecimento de modelos para minimizar o conflito entre produtores rurais e mamíferos predadores. O estudo será realizado no Corredor Sudeste da Mata Atlântica (CSMA), nas áreas do referido edital. Nossas perguntas centrais são: (1) Como a diversidade biológica sustenta os serviços ecossistêmicos?; e (2) Quais são os custos e benefícios associados à biodiversidade, considerando tanto os serviços ecossistêmicos quanto os conflitos decorrentes das interações humano-fauna? Especificamente, objetivamos responder: (1) Como está estruturada a cadeia trófica dos mamíferos no CSMA? (2) Quais são os padrões de diversidade de mamíferos sob uma perspectiva metacomunitária? (3) Quais funções ecológicas podem ter sido retidas ou perdidas no CSMA e qual o impacto nos serviços ecossistêmicos (SEs) na região? (4) Existe conectividade funcional (fluxo gênico) de mamíferos no corredor? (5) Como a percepção de custos e benefícios associados à biodiversidade determina atitudes e comportamentos entre os produtores rurais em relação à fauna e à conservação? (6) Como o pagamento por serviços ambientais (PSA) afeta tais percepções, atitudes e comportamentos? (7) Quais são as estratégias mais custo-efetivas para: (i) mitigar conflitos; (ii) promover a coexistência entre produtores rurais e fauna silvestre; e (iii) engajar as comunidades locais na recuperação e proteção dos SEs? Esperamos que os padrões de diversidade - i.e., alfa alta e beta baixa - sejam um proxy de geração ou perda de SEs e de estoques de carbono. O impacto explícito do projeto nos habilita mapear assembleias com diversidade local reduzida, inábeis de manterem íntegro o funcionamento dos ecossistemas, condicionadas ao efeito resgate de assembleias adjacentes. Padrões de diversidade beta baixos indicarão que as assembleias têm fluxo entre elas, e o continuum florestal cumpriria a função de assegurar a conservação da biodiversidade e de SEs. Nesse cenário, a potencial erosão dos SEs prestados por mamíferos no CSMA está associada ao conflito e caça, não sendo a fragmentação a força motriz de um eventual colapso de funcionamento. Esperamos que o incentivo proporcionado pelo PSA aumente a tolerância aos grandes carnívoros e herbívoros e, assim, gere atitudes positivas em relação aos SEs prestados pela biodiversidade e a sua proteção. Nosso projeto integrará de forma interdisciplinar ecologia de mamíferos e dimensões humanas da conservação, propondo um modelo de pesquisa e extensão que permita gerar informações que subsidiem políticas públicas mantenedoras de SEs na região. (AU)

Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (3 total):
Pesquisas vão amparar políticas ambientais 
Pesquisas vão amparar políticas ambientais 
Pesquisas deverão amparar políticas ambientais