Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 19/02477-5: detector de Raios X bidimensional

Processo: 19/21192-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 31 de outubro de 2026
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Roosevelt Droppa Junior
Beneficiário:Roosevelt Droppa Junior
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa. Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Difração por raios X  Detectores de raios X  Aquisição de equipamentos  Equipamentos multiusuários  Recursos para a pesquisa 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Tipo de equipamento: Tipo de Equipamento Multiusuário não informado
Fabricante: Fabricante não informado
Modelo: Modelo não informado

Resumo

O difratômetro Bruker D8 Discover da Central Experimental Multiusuário (CEM) da UFABC é um equipamento científico que serve a uma comunidade que conta atualmente com mais de 300 usuários distribuídos entre pós-graduandos e pesquisadores locais e externos que utilizam as facilidades da CEM para o desenvolvimento de vários projetos de pesquisa. Esse equipamento é dedicado a análises por difração de raios X da estrutura atômica de materiais sólidos como filmes finos, monocristais e policristais, tanto em temperatura ambiente como em condições especiais de altas e baixas temperaturas. Para tanto, o difratômetro conta com berço de Euler, câmara de temperatura (para medidas entre -190°C e 1500°C) e criostato (para medidas em baixíssimas temperaturas até 2 K), além de uma fonte pontual de raios X de Mo do tipo microfoco e um detector de raios X bidimensional. Tal configuração permite que esse difratômetro possa ser utilizado em análises de materiais com diferentes técnicas baseadas em difração de raios X, tais como medidas de textura cristalográfica e tensões residuais, difração a ângulo rasante, refletometria, difração de policristais/pó em baixas e altas temperaturas, bem como difração de monocristais e até SAXS. Isso mostra como o difratômetro D8 Discover é um equipamento bastante versátil e único. Apesar disso, nos últimos anos ele tem sido subutilizado porque o antigo detector de raios X bidimensional (Hi-Star Bruker) chegou ao final de sua vida útil e não pode ser mais reparado. Os detectores bidimensionais são os mais adequados para uso com fontes pontuais, como as de microfoco, pois aumentam consideravelmente a velocidade de uma medida por sua capacidade de registrar simultaneamente intensidades espalhadas em vários ângulos distintos dentro de sua área ativa de detecção, compensando a baixa intensidade da fonte. Os detectores de área antigos, como o Hi-Star do D8 Discover, são do tipo contador proporcional a gás. Devido à diminuição da pressão interna do gás ao longo do tempo, tais detectores perdem eficiência e deixam de funcionar caso não sejam reparados periodicamente com novo preenchimento de gás. Por esse motivo e porque o fabricante não oferece mais o serviço de manutenção para esse tipo de equipamento, o atual detector encontra-se inoperante e assim, solicitamos sua substituição por um outro do mesmo tipo, porém mais moderno, que não requeira manutenção periódica. Atualmente, a opção mais adequada para uso no difratômetro D8 Discover da CEM, senão a única, é o detector bidimensional LYNXEYE XE-T da própria Bruker, não só por este ser totalmente integrável à estrutura física do difratômetro, como também por ser o mais adequado para detecção da radiação de Mo. Somada a essas características, há também a vantagem de que esse detector possui resolução em energia suficiente para filtrar a radiação Kbeta sem a necessidade de uso de filtro físico. Segundo o fabricante, o uso do detector de área LYNXEYE XE-T deve proporcionar um aumento de até 450 vezes na velocidade de aquisição de dados quando comparado a um detector pontual, reduzindo assim consideravelmente o tempo de uma medida. Desse modo, espera-se que, com a substituição do atual detector de área, seja possível realizar medidas de difração de raios X muito mais rápidas e de melhor qualidade, beneficiando grandemente os projetos de pesquisa que estão em andamento na UFABC que dependem de análises por difração de raios X, em especial aquelas que necessitam de configurações especiais (temperatura e geometrias especiais). (AU)