Busca avançada
Ano de início
Entree

Cortisol estimula diretamente a diferenciação espermatogonial, meiose e espermiogênese em explantes testiculares de zebrafish (Danio rerio)

Processo: 20/02449-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2020 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Rafael Henrique Nóbrega
Beneficiário:Rafael Henrique Nóbrega
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Reprodução  Peixe-zebra  Hidrocortisona  Espermatogênese 

Resumo

O cortisol é o principal fator endócrino que medeia os efeitos inibitórios do estresse na reprodução de vertebrados. É sabido que o cortisol afeta a reprodução interagindo com o eixo hipotálamo-hipófise-gônadas, levando a efeitos inibitórios e estimulantes nas gônadas. No entanto, seus mecanismos não são totalmente ainda compreendidos. Neste estudo, fornecemos novos dados demonstrando os efeitos estimulatórios do cortisol na espermatogênese usando um sistema de cultura de órgãos ex vivo. Os resultados revelaram que o tratamento com cortisol não modulou a produção basal de andrógenos, mas influenciou os níveis de transcrição de um número selecionado de genes envolvidos na função testicular de zebrafish (ar, star, cyp17a1, cyp11a2, hsd11b2, cyp2k22, fkbp5, gr± e gr²) em culturas a curto prazo. Também mostramos que o cortisol estimula a proliferação e diferenciação espermatogonal de maneira independente de andrógenos, além de promover meiose e espermiogênese, aumentando o número de espermatozóides nos testículos. Além disso, demonstramos que o tratamento concomitante com RU 486, um potente antagonista do receptor glicocorticóide (Gr), não afetou os efeitos do cortisol na diferenciação espermatogonial, mas bloqueou os efeitos induzidos na meiose e espermiogênese. Apoiando os efeitos mediados por Gr, o RU 486 anulou a expressão de sycp3l induzida pelo cortisol. O sycp3l é um gene que codifica um componente do complexo sinaptonêmico. Isso é consistente com análise in silico que encontrou 10 GREs putativos (elementos responsíveis a glicocorticóides) na região promotora do sycp3l de zebrafish. Finalmente, também mostramos que o mRNA do gr± é expresso nas células Sertoli e Leydig, mas também em vários tipos de células germinativas, incluindo espermatogonia e espermatócitos. Em geral, essas evidências indicam que o cortisol exerce papéis parácrinos na função testicular e na espermatogênese do zebrafish, destacando seus efeitos na diferenciação espermatogonial, meiose e espermiogênese. (AU)