Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação cardiovascular dos efeitos da anestesia inalatória em capivaras (Hydrochoerus hydrochaeris) submetidas a cirurgia contraceptiva pela técnica convencional e por videocirurgia

Processo: 19/14875-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2020 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Silvia Renata Gaido Cortopassi
Beneficiário:Silvia Renata Gaido Cortopassi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Mario Antonio Ferraro Rego ; Priscila Rocha Yanai
Assunto(s):Capivaras  Anestesiologia  Dexmedetomidina  Isoflurano 

Resumo

A capivara é um roedor, hospedeiro do carrapato-estrela (Amblyomma sculptum) e potencial disseminador da Febre Maculosa Brasileira. Por se adaptar facilmente a diversos ambientes e possuir alta capacidade reprodutiva, o controle populacional de alguns grupos de capivara pode se fazer necessário, sendo que os métodos mais adequados, considerando-se as características hierárquicas da espécie e a patogenia da febre maculosa, são a vasectomia e ligadura tubária. Sabendo-se das dificuldades na manutenção anestésica, da falta de literatura relacionada à anestesia nessa espécie e que as técnicas videocirúrgicas geralmente apresentam vantagens sobre as correspondentes abertas convencionais, objetiva-se comparar os parâmetros cardiovasculares da utilização da anestesia inalatória entre as abordagens convencional e por videocirurgia para os procedimentos de salpingectomia e deferentectomia em capivaras e comparar o trauma cirúrgico resultante destas duas diferentes técnicas. Vinte e oito capivaras serão distribuídas em dois grupos de acordo com a técnica cirúrgica proposta e todas receberão o mesmo protocolo anestésico com a associação de cetamina (7 mg/kg) com dexmedetomidina (6 mcg/kg) e mantidas com isoflurano. Serão avaliadas as funções cardíacas, respiratórias, analgesia e qualidade na recuperação pós-cirúrgica, tamanho da incisão, tempo do procedimento e complicações cirúrgicas. Serão avaliadas as variáveis de frequência cardíaca (FC) e ritmos cardíacos, pressão arterial sistólica (PAS), temperatura retal, frequência respiratória (f), a tensão de dióxido no final da expiração (ETCO2 - mmHg) bem como as concentrações inspiradas e expiradas de isoflurano e a fração inspirada de oxigênio (FIO2 - %), a saturação da oxihemoglobina no sangue periférico (SpO2) a cada 10 minutos até o início da recuperação anestésica. Serão coletadas amostras de sangue arterial no momento após a intubação e ao término do procedimento cirúrgico, para obtenção dos valores de potencial hidrogeniônico no sangue arterial (pH), pressão parcial de dióxido de carbono no sangue arterial (PaCO2 - mmHg), pressão parcial de oxigênio no sangue arterial (PaO2 - mmHg), concentração plasmática de íon bicarbonato (HCO3- - mmol/L), e déficit de base (BE - mmol/L). Também serão mensuradas as variações no leucograma, nas proteínas de fase aguda, cortisol, noradrenalina e glicose plasmáticos. Espera-se que o emprego da anestesia inalatória seja utilizada mais frequentemente na realização de procedimentos cirúrgicos em capivaras, e que o emprego da abordagem videolaparoscópica apresente menor trauma cirúrgico quando comparado ao da técnica aberta. (AU)