Busca avançada
Ano de início
Entree

B-catenina e sua relação com a deformação mecânica no osso alveolar - um estudo conduzido em ratos com extração dental

Processo: 20/06449-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de julho de 2020 - 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Ana Cláudia Rossi
Beneficiário:Ana Cláudia Rossi
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Método dos elementos finitos  Ratos  beta Catenina 

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar a relação entre a deformação óssea alveolar e os níveis de expressão de B -catenina em resposta à carga mecânica alterada pela extração dentária em ratos adultos. Vinte e quatro ratos machos (Rattus norvegicus albinus), da linhagem Wistar, com dois meses de idade, foram utilizados. O incisivo superior direito foi extraído e a eutanásia ocorreu nos períodos de 5 (n=6), 7 (n=6) e 14 (n=6) dias após o dia 0. No grupo controle (n=6) a dentição foi mantida. A eutanásia ocorreu aos 14 dias após o dia 0. Após a eutanásia, os ratos de todos os grupos tiveram suas maxilas esquerdas com dente removidas e separadas ao meio. As peças foram submetidas a processamento histológico de rotina e, em seguida, a marcação imuno-histoquímica foi realizada para marcar a expressão do anticorpo primário B-catenina, que foi avaliado por análise qualitativa e quantitativa. Uma cabeça de cada grupo (controle e experimental) foi submetida à microtomografia computadorizada. Após a reconstrução tridimensional do crânio do rato em cada grupo, a simulação computacional para análise de elementos finitos foi realizada para simular uma mordida nos incisivos. Na análise de elementos finitos, os padrões de deformação foram avaliados após a aplicação da força de mordida. Os resultados foram analisados considerando as áreas em que foram detectadas alterações na quantidade de deformações. A ação da força de mordida na condição experimental resultou em uma distribuição uniforme da quantidade de deformações, além de menor quantidade de áreas de deformação, diferenciando-se do grupo controle. Comparando com o grupo controle, os níveis de B-catenina sinalizados no osso lingual do terço médio do osso alveolar foram elevados nos períodos de 5 e 14 dias. A intensidade positiva aumentada da coloração com B-catenina foi concentrada nos osteócitos e nas lacunas dos osteócitos. Os achados do presente estudo estão de acordo com nossa hipótese de que a condição de extração dentária pode causar a expressão de B-catenina e alterar os regimes de deformação óssea. (AU)