Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de sensores ópticos para diagnóstico da reatividade microvascular em pacientes com COVID-19 e outras doenças respiratórias graves

Resumo

A pandemia da COVID-19 tem desencadeado uma busca por intervenções adjuvantes e de suporte que possam melhorar os resultados clínicos dos pacientes infectados. Durante a fase aguda, a apresentação clínica da doença varia desde quadros assintomáticos até pneumonia grave. A síndrome respiratória aguda grave (SRAG) é a principal complicação nos casos críticos agudos, o que muitas vezes leva à necessidade de ventilação mecânica e é responsável por mais de 90% dos óbitos. Depois da fase aguda, a evolução clínica no médio e longo prazo ainda pode deixar sequelas funcionais e afetar a qualidade de vida dos sobreviventes. As sequelas de longo prazo na fase subaguda e crônica ainda são pouco compreendidas devido ao pouco tempo de existência da doença. Tanto na fase aguda quanto na fase crônica, no entanto, a informação da oxigenação do tecido pode ser muito útil para compreender a evolução clínica da doença e prognosticar desfechos em pacientes infectados. Neste contexto, o presente projeto visa desenvolver tecnologias inovadoras, portáteis, escaláveis, confiáveis e baratas que possam quantificar a oxigenação do tecido a partir de métodos de espectroscopia óptica de difusão. Os dispositivos serão testados em protocolos clínicos específicos para cada fase da doença, o que permitirá relacionar o prognóstico dos pacientes com distúrbios na microcirculação sanguínea. Consequentemente, espera-se que a tecnologia desenvolvida leve a uma maior otimização dos recursos destinados ao tratamento e à monitoração dos pacientes, o que deverá impactar a qualidade de vida dos sobreviventes - além de diminuir a mortalidade e diminuir os custos do sistema de saúde relacionados com morbidades decorrentes da COVID-19. (AU)