Busca avançada
Ano de início
Entree

Escherichia coli ST131-H22 resistente à colistina e mcr-1-positiva carreando blaCTX-M-15 e qnrB19 em solo agrícola.

Resumo

A pandêmica Escherichia coli com tipo de sequência 131 (ST131) contendo genes mcr de resistência à colistina mediada por plasmídeo surgiu em todo o mundo causando infecções extra-intestinais, com linhagens pertencentes a três clados principais (A, B e C). O clade B é o mais prevalente em animais, contaminando produtos derivados de carne e pode ser transmitido de forma zoonótica. No entanto, o gene blaCTX-M-15 só foi associado ao subclado C2 até agora. Neste estudo, realizamos uma investigação genômica de uma E. coli (cepa S802), isolada de uma cultura de couve no Brasil, que exibiu um perfil multirresistente a antimicrobianos clinicamente significativos (ou seja, polimixina, cefalosporinas de amplo espectro, aminoglicosídeos e fluoroquinolonas). A análise de sequenciamento do genoma completo revelou que a linhagem S802 pertencia ao sorotipo O25: H4, ST131 / CC131, grupo filogenético B2 e virotipo D5. Além disso, S802 possui o alelo fimH22 associado ao clade B, genes que codificam resistência a antimicrobianos, metais e biocidas clinicamente importantes, e é filogeneticamente relacionado às linhagens ST131-H22 humanas, aviárias e suínas. Além disso, os plasmídeos IncHI2-IncQ1, IncF [F2: A-: B1] e do tipo ColE1 foram identificados como portadores dos genes mcr-1.1, blaCTX-M-15 e qnrB19, respectivamente. O surgimento da sub-linhagem de E. coli ST131-H22 com mcr-1.1, blaCTX-M-15 e qnrB19 em solo agrícola representa uma ameaça à segurança alimentar e ambiental. Portanto, uma abordagem One Health para estudos de vigilância genômica é necessária para efetivamente detectar e limitar a propagação de bactérias resistentes a antimicrobianos e seus genes de resistência. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)