Busca avançada
Ano de início
Entree

Manutenção e alinhamento da parte óptica de 3 espectroflurimetros Hitachi; manutenção e alinhamento da parte óptica de 1 espectrofotômetro Hitachi

Processo: 95/03040-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 1995 - 30 de setembro de 1995
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Luiz Juliano Neto
Beneficiário:Luiz Juliano Neto
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Enzimas proteolíticas  Peptídeo hidrolases  Substratos  Glicopeptídeos  Calicreína 

Resumo

O projeto visa abordar o estudo de enzimas proteolíticas envolvidas em processos fisiológicos e fisiopatológicos desenvolvendo substratos e inibidores específicos. As calicreínas, renina, tonina, enzima conversora da angiotensina-I há vários anos são estudadas em nossos laboratórios e terão destaque no projeto. As peptidases do sistema nervoso central, enzimas de processamento de pró-enzimas, proteases de parasitas e de venenos de serpentes e as catepsinas, serão estudadas em colaboração com pesquisadores nacionais e internacionais. Os peptídeos a princípio foram sintetizados por técnicas clássicas, em solução, pois foram acrescidos de radicais cromóforos, fluorescentes e apagadores da fluorescência. Durante o desenvolvimento do projeto estas sínteses passaram a ser feitas em fase sólida pois conseguimos preparar os derivados do ácido glutâmico que se adequaram a este tipo de síntese. As sínteses de inibidores estão seguindo basicamente a mesma metodologia, requerendo porém uma gama maior de reações orgânicas, pois preparáramos diazometilcetonas, cloro e fluorometilcetonas, aminoácidos e ligações amida modificadas. Os estudos cinéticos de hidrólise e inibição enzimáticas estão sendo feitos por técnicas colorimétricas, fluorimetricas ou por HPLC, e as enzimas obtidas de fontes naturais ou por clonagem, quando poderemos ter acesso a modificações pontuais através da colaboração com a Dra. Julie Chão da Universidade de South Carolina, USA. Pretendemos estabelecer em nossos laboratórios as técnicas de preparo de glicopeptídeos e estudá-los como inibidores ou substratos das enzimas proteolíticas. A química dos processos de síntese de glicoproteínas é recente e está em desenvolvimento a nível internacional. Pouco se conhece do efeito de açúcares na proteólise de substratos glicosilados. O potencial de trabalho é grande nesta área e totalmente novo em nosso meio. Deverá portanto requerer investimentos em equipamentos, no desenvolvimento e adaptação de procedimentos químicos e no treinamento de pessoal. Estamos já colaborando nesta área com o Prof. Raniero Rocchi do Instituto de Química Orgânica da Universidade de Pádua, Itália e iniciamos contatos com Dr. Meldal Morten do Instituto Carlsberg, Laboratório de Química Orgânica, da Dinamarca. Resultados recentes nos permitiram mostrar a susceptibilidade das sequências tipo Lys-Phe-Phe-Ser a calicreína tissular. Coincidentemente e de maneira independente foi descrito uma serpina específica para a calicreína tissular humana que tem a mesma seqüência como ponto de clivagem. O estudo de substratos contendo a ligação Phe-Ser e de sequências relacionadas a serpina acima mencionada esta sendo um incremento a este projeto. Além disso, estamos desenvolvendo substratos e inibidores para tiol-protease tipo catepsina B e L inclusive de T. Cruzi e T. Brucei. Esta parte do projeto esta levando a caracterização destas enzimas e seus inibidores. (AU)