Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de técnicas ambientais e construtivas através de modelagem matemática e desenvolvimento de softwares para redução de perdas na produção industrial de animais: zootecnia de precisão

Resumo

O Brasil perde cerca de 25 milhões de dólares, em produção de proteína animal(carne, leite e ovos) cada 10 dias de altas temperaturas, em torno de 35°C. Esta situação ocorre em grande maioria das áreas de fronteira agrícola, onde estão se estabelecendo as grandes produções avícolas e suinícolas, no centro oeste brasileiro. No Mercosul, o Brasil desponta com uma produção de carne suína de 1,290 milhões de toneladas, que representam apenas 16% da produção brasileira de carnes, considerando aves, bovinos, suínos e ovinos. No mundo, 44% do consumo é de carne suína; 29%, carne bovina; 23%,aves, e 4%, as demais carnes. A exportação de carne brasileira encontra alguns obstáculos, como barreiras sanitárias, alfandegárias e não alfandegárias, qualidade do produto visando atender ao mercado consumidor, como por exemplo cortes de carcaça com menor cobertura de gordura, apresentação e padronização dos produtos, tipificação de carcaça e garantia de sanidade do rebanho. O microclima ao redor dos animais criados de maneira intensiva e industrial, tem influência direta na performance produtiva e reprodutiva dos lotes alojados. O conceito de conforto térmico, está diretamente relacionado com a questão do microclima, por isso, condições ambientais inadequadas afetam diretamente o desenvolvimento dos animais. Um microclima menos estressante levaria a uma produção melhor e provavelmente, economicamente mais viável. Tradicionalmente os produtores confiam nos seus conhecimentos práticos, para determinar o momento de tomar providências a respeito de melhorar o ambiente dentro das instalações, o que implica geralmente em defasagem entre o necessário e a perda. Por outro lado, são poucos os dados relativos a decisões práticas importantes a serem adotadas, baseadas nos dados fornecidos pela literatura, até porque, em sua grande maioria, a literatura oferece soluções que tradicionalmente divergem do métodos de alojamento e manejo, que são adotados pelos nossos produtores. O dimensionamento de edificações que sejam capazes de criar um ambiente técnico ideal, requer a interação de um número muito grande de variáveis que defina os componentes da construção, os materiais utilizados, sua orientação, sua geometria, sua forma de ocupação e o conforto térmico que o animal ocupante necessita para ter um desempenho ideal. É importante estabelecer padrões que permitam comparações de desempenho entre diferentes modelos de instalações, tendo em vista o manejo dos animais em questão, que é uma tarefa difícil. Mesmo assim, é importante que sejam observadas, no planejamento das instalações, as restrições que levem ao maior conforto térmico e conseqüentemente a uma maior produtividade além da sistematização do procedimento para o dimensionamento da edificação (relação ótima dimensões/conforto/custo/beneficio). O objetivo geral do trabalho é desenvolver um pacote tecnológico utilizando programas computacionais e hardware (controles e automação) adequados, e dentro dos conceitos de software especialista e inteligente, que atenda às etapas de desenvolvimento do projeto de instalações agrícolas de abrigos a animais produzidos de maneira industrial, abrangendo desde a definição de seu material construtivo, os aspectos de conforto térmico, e a análise estrutural e o seu dimensionamento, bem como manejo do animal. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)