Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao do uso de pepgen p-15 no tratamento de defeitos intra-osseos em pacientes com periodondite agressiva.estudo clinico, radiografico e laboratorial em humanos.

Processo: 06/04404-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2007 - 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Sérgio Luís Scombatti de Souza
Beneficiário:Sérgio Luís Scombatti de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Periodontite agressiva  PepGen P-15 

Resumo

A restauração completa e previsível do periodonto após trauma ou infecção ainda é um objetivo crítico em Periodontia Pesquisas têm sido realizadas para identificar moduladores biológicos que podem melhorar a regeneração de tecidos perdidos na terapia periodontal. O envolvimento de uma cadeia específica de 15 aminoácidos do colágeno tipo I na diferenciação celular foi demonstrado. O PepGen P-15 (Dentsply/Ceramed) é uma combinação de matriz óssea inorgânica de hidroxiapatita natural de origem bovina unida com essa seqüência de aminoácidos. As periodontites agressivas compõem um grupo de formas raras e rapidamente progressivas da doença periodontal que apresentam defeitos periodontais de difícil tratamento. O objetivo deste trabalho será avaliar, por meio de mensurações clínicas e dados radiográficos, a eficácia do uso do PepGen P-15 no tratamento de defeitos periodontais infra-ósseos em pacientes portadores de periodontite agressiva, tendo como controle o uso de membrana e-PTFE com reforço de titânio em defeitos infra-ósseos contra-laterais de características semelhantes. Serão selecionados 20 pacientes com periodontite agressiva. No exame inicial, serão registrados: índice de placa, profundidade de sondagem, sangramento à sondagem e nível de inserção relativo, utilizando-se sonda periodontal eletrônica e placa acrílica. Exames radiográficos serão realizados antes do tratamento de maneira padronizada. Os pacientes serão submetidos ao Preparo Inicial, recebendo raspagem e alisamento radiculares subgengivais dos quatro quadrantes em uma ou duas sessões com a utilização de curetas de Gracey e ultra-som. Será introduzida a antibioticoterapia 24 horas antes da terapia mecânica, devendo permanecer por 10 dias (Amoxicilina 500mg – 3xdia; Metronidazol 400mg – 2xdia). Os pacientes receberão controle de placa bacteriana semanalmente, por 4 semanas, quando serão novamente realizadas as medidas clínicas descritas inicialmente (Exame Baseline). Serão, então, selecionados dois defeitos periodontais avançados, em sextantes diferentes, com profundidade de sondagem ≥ 5mm e perda óssea radiográfica ≥ 4 mm, de duas ou três paredes. Serão quantificadas IL-1, a fosfatase alcalina e a osteocalcina. Serão feitas cirurgias regenerativas, sendo um defeito tratado com PepGen P-15 (grupo teste) e o outro com membrana de e-PTFE com reforço de titânio (grupo controle). Serão prescritos antiinflamatórios não-estereoidais e antibióticos (Amoxicilina + Clavulanato de Potássio 500mg – 3xdia), iniciando 24 horas antes da cirurgia e prolongando-se por 5 dias (antiinflamatório) e 10 dias (antibiótico) pós-operatórios, além de bochechos com dicluconato de clorexidina 0,12% (2 vezes ao dia, por 30 dias). A remoção da membrana será feita 28 dias após sua colocação. Com o objetivo de avaliar o processo de reparo ósseo, através da análise de seus marcadores teciduais, serão colhidas amostras do fluido gengival dos sítios dos dentes que serão submetidos à cirurgia regenerativa. As coletas das amostras serão realizadas antes da cirurgia e com 3, 6 e 12 meses pós-operatórios. Utilizar-se-ão filtros de papel específicos (periopaper) que serão introduzidos no sulco gengival. A análise do volume de fluido será feita com auxílio do Periotron 6000® (Ora-flow Inc.). As amostras serão armazenadas a -70º C para posterior análise dos marcadores presentes nesses sítios, por meio de exame laboratorial colorimétrico (ELISA - Enzyme-Linked Immunosorbent Assay), seguindo o protocolo do fabricante. Durante o período pós-operatório, novas mensurações clínicas e novas tomadas radiográficas com os posicionadores individualizados e sensor digital serão realizadas aos 6 e 12 meses, do mesmo modo descrito anteriormente. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ADRIANA C. QUEIROZ; PRISCILA BRASIL DA NOBREGA; FABIOLA S. OLIVEIRA; ARTHUR B. NOVAES JR.; MARIO TABA JR.; DANIELA B. PALIOTO; MARCIO F. M. GRISI; SERGIO L. S. SOUZA. Treatment of Intrabony Defects with Anorganic Bone Matrix/P-15 or Guided Tissue Regeneration in Patients with Aggressive Periodontitis. Brazilian Dental Journal, v. 24, n. 3, p. 204-212, 2013-06-00.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.