Busca avançada
Ano de início
Entree

Padronização da técnica de multiplex PCR para a detecção de Staphylococcus aureus, Streptococcus agalactiae e Escherichia coli em amostras de leite bovino obtidas de tanques de expansão

Resumo

A qualidade do leite tem sido alvo de constante preocupação no Brasil, onde ainda persistem problemas como a baixa produção, limitações de ordem genética dos rebanhos, nutrição inadequada dos animais, problemas de manejo, condições deficientes de produção nas propriedades leiteiras, mão-de-obra desqualificada e elevada prevalência de mastites. A Instrução Normativa n. 51, que entrou em vigor em julho de 2005, elaborada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, constitui um conjunto de normas técnicas para a cadeia láctea, visando à melhoria da qualidade do leite no país. Posto isto, há uma demanda por métodos rápidos, com elevada sensibilidade e especificidade, custo acessível e aplicabilidade para o processamento de um grande número de amostras de leite. O objetivo do presente estudo é padronizar o método de Multiplex PCR (mPCR) para a detecção de S. aureus, S. agalactiae e E. coli em amostras de leite bovino obtidas de tanques de expansão, e avaliar esta técnica como possível ferramenta a ser empregada em programas de controle de qualidade do leite oferecido para consumo. Para tanto, serão visitadas 25 propriedades leiteiras do estado de São Paulo, com sistema de ordenha mecânica, tanque de expansão próprio e no mínimo 50 vacas em lactação. Serão colhidas amostras de leite dos tanques para a realização da mPCR, cultivo microbiológico, Contagem de Células Somáticas e Contagem Bacteriana Total. Serão colhidas amostras de leite individuais dos quartos dos animais após a realização da prova de Tamis e Califórnia Mastitis Test (CMT), para cultivo microbiológico. Será aplicado questionário aos ordenhadores e produtores, para avaliação das características epidemiológicas de cada propriedade, bem como sua relação com os resultados obtidos em cada técnica diagnóstica. (AU)