Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil de expressão gênica de ratos tratados com etanol mediante suplementação com vitamina E: proposta de novo parâmetro para avaliação do estresse oxidativo induzido pelo alcoolismo

Processo: 08/02612-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2008 - 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Helio Vannucchi
Beneficiário:Helio Vannucchi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Metabolismo  Etanol  Alcoolismo  Estresse oxidativo  Vitamina E  Análise de sequência com séries de oligonucleotídeos 

Resumo

O estresse oxidativo se destaca como um fator importante no alcoolismo, sendo o principal responsável pelo quadro fisiopatológico característico da doença alcoólica hepática, em que a depleção de antioxidantes endógenos decorrente da síntese elevada de radicais livres contribui para a peroxidação lipídica associada ao dano hepático. Um parâmetro importante na investigação dos efeitos antioxidantes é a avaliação do comportamento de biomarcadores do estresse oxidativo em estudos de suplementação controlada. Novas ferramentas de epidemiologia molecular estão sendo desenvolvidas na tentativa de se estabelecer uma análise precisa tanto do estresse oxidativo quanto dos níveis antioxidantes, visando uma avaliação mais fidedigna a respeito dos efeitos da suplementação antioxidante sobre determinadas condições clínicas. Os métodos existentes para estas análises vêm sendo considerados ineficazes. Estudos recentes evidenciaram alteração no perfil de expressão gênica em diferentes modelos experimentais para alcoolismo, contudo não há nenhum relato sobre a ação de tratamento antioxidante sobre a expressão gênica. O presente trabalho será realizado no intuito de propor novo parâmetro de avaliação do estresse oxidativo induzido pelo alcoolismo, a partir da análise do perfil de expressão gênica hepática em ratos tratados com etanol na ausência e presença de suplementação com vitamina E, por técnica de microarray. Dessa forma, os genes diferencialmente expressos poderão ser selecionados como biomarcadores, sendo que a técnica quantitativa de PCR em tempo real será aplicada para mensuração da expressão destes genes e proposta como novo parâmetro de avaliação do estresse oxidativo induzido pelo etanol. (AU)