Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da resistência de união e da nanoinfiltração de pinos de fibra de vidro cimentados com diferentes protocolos adesivos e submetidos à ciclagem mecânica

Processo: 09/17788-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2010 - 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Giselle Maria Marchi Baron
Beneficiário:Giselle Maria Marchi Baron
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Resistência de união (odontologia)  Adesivos dentinários  Pinos dentários  Fibra de vidro  Ciclagem mecânica 

Resumo

O objetivo deste trabalho será avaliar, in vitro, a resistência de união e a qualidade da interface adesiva de pinos intrarradiculares cimentados através de diferentes protocolos adesivos e submetidos ou não à ciclagem mecânica, com a simulação de ligamento periodontal. Serão selecionadas 150 raízes de incisivos inferiores bovinos com dimensões semelhantes, que serão incluídas em resina de poliestireno e simulada a presença do ligamento periodontal através de material elastomérico. Estas serão separadas em 5 grupos experimentais (n=30), de acordo com o protocolo adesivo realizado, sendo 20 utilizadas para avaliação da resistência de união, e 10 para análise da qualidade da interface. Os grupos formados estão descritos a seguir: Grupo 1 - cimento resinoso RelyX Unicem; Grupo 2 - cimento resinoso RelyX Unicem com prévio condicionamento ácido e aplicação do sistema adesivo Adper Single Bond; Grupo 3 - cimento resino Variolink e sistema adesivo Excite DSC; Grupo 4 - cimento resinoso RelyX ARC e sistema adesivo Scothbond Multi Purpose Plus; Grupo 5 - cimento resinoso Panavia F 2.0 e sistema adesivo ED Primer. Após a cimentação dos pinos pré-fabricados, serão confeccionados núcleos de preenchimento. Serão aplicados 100.000 ciclos, com força axial intermitente de 80N (1Hz). O teste de push-out será realizado a uma velocidade de 0,5mm/min e os valores expressos em MPa. Cinco raízes de cada grupo serão destinadas à avaliação da nanoinfiltração e os valores obtidos, assim como os valores do teste push-out de cada grupo, serão tabulados e analisados quanto à sua normalidade. Após isso, será realizada a análise estatística adequada (AU)