Busca avançada
Ano de início
Entree

Arquivos das greves no Brasil: análises qualitativas e quantitativas das greves da década de 1970 à de 2000

Processo: 08/03561-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2008 - 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Comportamento Político
Pesquisador responsável:Eduardo Garuti Noronha
Beneficiário:Eduardo Garuti Noronha
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/11556-1 - Arquivos das Greves no Brasil: análises qualitativas e quantitativas das greves da década de 1970 à de 2000., BP.TT
10/09352-9 - Arquivos das Greves no Brasil: analises qualitativas e quantitativas das greves entre as décadas de 1970 e 2000., BP.TT
10/05345-8 - Arquivos das Greves no Brasil: analises qualitativas e quantitativas das greves entre as décadas de 1970 e 2000., BP.TT
09/07911-3 - Arquivos das Greves no Brasil: análises qualitativas e quantitativas das greves da década de 1970 à de 2000., BP.TT
09/07865-1 - Arquivos das Greves no Brasil: análises qualitativas e quantitativas das greves da década de 1970 à de 2000., BP.TT
Assunto(s):Movimentos sociais  Greve  Negociação coletiva de trabalho  Sindicalismo  Sindicalistas 

Resumo

Esse projeto deriva de um convênio entre o DIEESE e o Depto. de Ciências Sociais da UFSCar e tem por objetivo revisar e complementar a base de dados do Sistema de Acompanhamento de Greves (SAG) desenvolvido e mantido pelo DIEESE, de forma a consolidá-lo como a mais completa fonte de informações sobre os conflitos do trabalho no Brasil.Por toda a década de 80, o Brasil foi o país recordista em greves. O chamado "novo sindicalismo", que eclodiu após um longo período de imobilidade do movimento sindical por força do regime militar, firmou-se a partir da realização de uma série de paralisações iniciadas em 1978, no ABC paulista, que se expandiram para todo o país. Até meados da década de 90, as greves foram freqüentes e expressivas, gerando amplo interesse da comunidade acadêmica nacional e internacional.Ao longo dos anos 90, mudanças relevantes no âmbito político-econômico levaram ao declínio deste excepcional ciclo grevista, o que reduziu drasticamente a produção sobre o tema. Dos bancos de dados iniciados na década anterior - SIGREV (Sistema de Greves, do Ministério do Trabalho); SAG-DIEESE e "Acompanhamento de Greves no Brasil" (do NEPP-UNICAMP) -, apenas o sistema desenvolvido pelo DIEESE teve continuidade.Dada a importância dos conflitos grevistas e a ausência de análises sobre esse fenômeno na história recente do Brasil, este projeto tem quatro objetivos principais. O primeiro é reformular a base de dados do SAG-DIEESE e complementá-la com informações relativas ao período anterior a sua implantação (1983). O segundo é colher e registrar depoimentos dos sindicalistas que participaram dos principais movimentos deflagrados nas últimas quatro décadas. O terceiro, registrar o debate sobre a regulamentação das greves no Brasil ao longo da história, bem como da legislação vigente e das propostas de alteração. O quarto é a produção de análises sobre as características, tendências e mudanças observadas nas formas e padrões de ação coletiva desde o período da redemocratização do país até os dias atuais, conforme apresentado no projeto anexo.Diversas serão as abordagens e interpretações utilizadas para essas análises. Deverá ser elaborado um estudo com o relato da história do movimento grevista no período em questão. Também serão examinadas várias hipóteses para a interpretação e explicação dessas paralisações. Uma das teses a serem examinadas é a de que os processos políticos de redemocratização e de inserção de novos segmentos sociais nos espaços político-institucionais têm relevância determinante nas estratégias de ação coletiva dos trabalhadores e produzem efeitos até mais decisivos do que os provocados por fatores econômicos.Esse projeto será desenvolvido no DIEESE, em São Paulo, onde está arquivada a documentação que alimentará o sistema e estão alocados os técnicos responsáveis pela inserção das informações. Está sendo solicitado à FAPESP apoio técnico estatístico, de processamento de dados e de pesquisa documental. Em contrapartida, o DIEESE disponibilizará cerca de 10 pesquisadores do staff da instituição - com variados graus de envolvimento no projeto, de formação acadêmica e de experiência -, sob a orientação de Francisco J. C. de Oliveira - Coordenador Geral de Pesquisas do DIEESE. O coordenador do Projeto, Eduardo G. Noronha, Professor do Departamento de Ciências Sociais da UFSCar - Universidade Federal de São Carlos - incentivará a participação de alunos de graduação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política dessa Universidade.Os principais produtos previstos serão (1) um banco de dados com informações sobre greves, acessível a todos os pesquisadores, (2) registro de depoimentos de dirigentes sindicais atuantes no período, (3) registro da legislação sobre greves e do debate e das mudanças nas leis de greve e (4) um conjunto de publicações técnicas e acadêmicas - ver projeto completo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Cuando parar es ir adelante 
Quando parar é ir para a frente