Busca avançada
Ano de início
Entree

Programa Genoma Xanthomonas axonopodis pv citri - laboratório de sequenciamento

Processo: 99/06760-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa GENOMA
Vigência: 01 de setembro de 1999 - 31 de agosto de 2002
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Hamza Fahmi Ali El-Dorry
Beneficiário:Hamza Fahmi Ali El-Dorry
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):00/07912-5 - Determination of the complete genome sequence of Xanthomonas axonopodis pv. citri, the agent responsible for citrus canker, BP.TT
Assunto(s):Expressão gênica  Transcrição gênica  Mitocôndrias  Leveduras  Trichoderma  Genoma Xanthomonas 

Resumo

A cultura agrícola de citros tem importância fundamental na economia brasileira e se posiciona como a segunda atividade agropecuária do Estado de São Paulo, envolvendo 400.000 empregos diretos e transações comerciais anuais superiores a 4 bilhões de dólares norte-americanos (1,5 bilhões em exportações). O setor da citricultura brasileira vem sendo afetado por duas doenças principais que tem causado perdas econômicas: o cancro cítrico e a Clorose Variegada dos Citros (CVC). O cancro cítrico é causado pelo patógeno bacteriano Xanthomonas citri (Xanthomonas campestris pv. citri ou Xanthomonas axonopodis pv. citri), enquanto que a CVC é causada pelo também patógeno bacteriano Xylella fastidiosa. Recentemente a taxa de dispersão do cancro cítrico nas plantações de citros tem superado a da CVC, assim como as perdas econômicas relacionadas à primeira doença. No Estado de São Paulo o número de árvores afetadas por cancro cítrico aumentou exponencialmente na última década de menos de mil antes de 1992 para 80.000 em 1998. Os sintomas iniciais do cancro cítrico podem aparecer de uma semana a dois meses após a infecção/inoculação da bactéria, dependendo das condições de temperatura e umidade. Inicialmente aparecem pequenas lesões amarelas, que com o passar do tempo se tornam marrons no centro formando uma superfície grumenta. Tais lesões fornecem o inóculo para futuras transmissões a outros tecidos e plantas. Uma vez identificados os sintomas do cancro cítrico, tanto as árvores contaminadas como aquelas presentes num raio de 30 metros são destruídas, aumentando o número de árvores afetadas para meio milhão em 1998. Xanthomonas é um gênero de bactérias fitopatogências que ataca uma grande variedade de hospedeiros com importância econômica como citros, arroz, feijão, uva e algodão. Espécies de Xanthomonas são bactérias Oram negativas, cilíndricas e móveis por meio de um flagelo polar. Têm genomas de aproximadamente 5 Mb. Xanthomonas citri não requere um vetor específico, podendo ser transferida de planta a planta pelo vento, chuva e ferramentas de corte contaminadas. Todos os tecidos aéreos dos citros são susceptíveis à infecção por Xanthomonas citri, sendo mais facilmente infectados tecidos jovens em desenvolvimento. Xanthomonas citri pode permanecer viável em frutos ou tecidos foliares que tenham sido removidos da planta hospedeira por até dois meses. Muitos aspectos das bases moleculares da patogenicidade de Xanthomonas com relação aos seus respectivos hospedeiros não são bem entendidos, em vista do fato de que embora os genes de avirulência e patogenicidade formem uma família altamente homóloga (avr/pth), eles podem causar fisiologicamente sintomas distintos em diferentes hospedeiros: hiperplasia no cancro cítrico, acúmulo de água, em vez de ar, na camada mesofílica do algodão e lesões alongadas no arroz. Além disso, alguns sub-grupos patogênicos de Xanthomonas aparentemente não possuem um gene da família avr/pth. O sequenciamento do genoma de Xanthomonas citri foi endossado dentro do programa Genoma-FAPESP com os objetivos de buscar um maior entendimento de tais mecanismos moleculares da patogenicidade desse fitopatógeno, assim como realizar uma comparação dessa cepa com outras responsáveis por doenças em hospedeiros que não os citros. Nosso laboratório participa do projeto como laboratório de seqüenciamento (QH), tendo como objetivos o seqüenciamento de clones de bibliotecas de "shotgun" genômico e de insertos de cosmídeos e a participação na anotação do genoma, com especial interesse nas vias metabólicas de carboidratos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.