Busca avançada
Ano de início
Entree

Trombose venosa profunda e tromboembolismo pulmonar no pós-operatório de cirurgias de revascularização miocárdica: avaliação diagnóstica independente de suspeita clínica

Processo: 10/15530-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2011 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Caio de Brito Vianna
Beneficiário:Caio de Brito Vianna
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovasculares  Revascularização miocárdica  Tromboembolismo  Trombose venosa 

Resumo

A presença de trombose venosa profunda (TVP) e tromboembolismo pulmonar (TEP) após cirurgia de revascularização miocárdica (CRM) é muitas vezes assintomática. Além disso as alterações clínicas que ocorrem comumente no pós-operatório de revascularização miocárdica podem dificultar ou mascarar o diagnóstico de TVP e TEP. Segundo poucos dados disponíveis na literatura, a incidência de TVP em pacientes no pós-operatório de CRM parece ser surpreendentemente alta. Da mesma forma, acredita-se que a incidência de TEP após cirurgias de revascularização miocárdica deva ser maior do que habitualmente se supõe. A partir desse conhecimento exposto pretendemos avaliar a prevalência de TVP e TEP, após pesquisa diagnóstica ativa, independente de suspeita clínica, no pós-operatório de CRM, para que possamos oferecer a esses pacientes o beneficio do tratamento (anti-coagulação), evitando assim complicações potencialmente graves e até mesmo fatais. Os resultados serão determinantes para ressaltar a necessidade ou não de medidas profiláticas de rotina, fato não esclarecido pela literatura atual.O paciente é selecionado para o estudo durante pré-operatório realizado pela Unidade de Coronariopatias Crônicas (cirurgias de emergência e pacientes com síndromes coronarianas agudas não serão incluídos). Uma vez selecionado, o paciente assina o termo de consentimento livre e esclarecido. O paciente é submetido a cirurgia com cirurgião experiente pré-determinado, indicado pela Divisão Cirúrgica do Hospital, com ou sem circulação extra-corpórea, por livre decisão. Na unidade de recuperação cardíaca realiza todos exames de rotina pós-operatória e será excluído se houver fatores indicativos de internação nesta unidade por mais de cinco dias. Após 24 horas da cirurgia deve colher Proteína-C Reativa ultra-sensível. Serão excluídos aqueles que obtiverem alta da unidade de recuperação cardíaca apenas após o quinto dia de pós-operatório. Paciente recebe alta para enfermaria. Entre os dias sexto e nono após a cirurgia (sétimo dia como meta ideal), realiza-se ultrassonografia venosa de membros inferiores e angiotomografia computadorizada contrastada helicoidal do tórax, quando diagnóstico de TVP e/ou TEP será o desfecho primário. Caso permaneça internado após estes exames, segue em observação clínica e faz os exames complementares de rotina. Após realizados os exames protocolares, durante a internação ou até três meses após alta hospitalar, caso seja diagnosticado TVP e/ou TEP devido novos sinais e sintomas, por suspeita médica e exames de rotina, também será considerado como desfecho primário. Paciente recebe alta hospitalar e receberá telefonemas após 30, 60 e 90 dias. Havendo intercorrências clínicas relevantes estas serão analisadas em detalhes, especialmente pesquisando-se presença de TVP e/ou TEP. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VIANA, VITOR B.; MELO, EMANOEL R.; TERRA-FILHO, MARIO; DALLAN, LUIS A.; GONZALEZ, MARIA M.; HAJJAR, LUDHMILA A.; JATENE, FABIO B.; CESAR, LUIZ A.; VIANNA, CAIO B. Frequency of Deep Vein Thrombosis and/or Pulmonary Embolism After Coronary Artery Bypass Grafting Investigation Regardless of Clinical Suspicion. AMERICAN JOURNAL OF CARDIOLOGY, v. 119, n. 2, p. 237-242, JAN 15 2017. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.