Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma metodologia sistemática para avaliação ambiental de edifícios

Processo: 00/06793-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2000 - 30 de setembro de 2003
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Civil - Construção Civil
Pesquisador responsável:Vahan Agopyan
Beneficiário:Vahan Agopyan
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistemas e processos construtivos  Edificações  Edifícios  Impactos ambientais  Desenvolvimento sustentável 

Resumo

A indústria da construção - particularmente a construção, operação e demolição de edifícios - provavelmente representa a atividade humana com maior impacto sobre o meio ambiente. Pesquisas visando reduzir os impactos ambientais de edifícios receberam investimento crescente ao longo da última década. A definição de estratégias para minimização do uso de recursos não renováveis, economia de energia e redução de resíduos de construção, em especial, foi amplamente estimulada por agências governamentais, instituições de pesquisa e setor privado de diversos países. No entanto, o emprego de técnicas de green construction acaba tendo um efeito isolado que perde-se quando não é possível estimar quão 'verdes' os edifícios realmente são e documentar as melhorias no ambiente construído trazidas por sua implementação. Como resultado desta visão fragmentada do problema, estudos mais recentes de abordagem de ciclo de vida vêm demonstrando que edifícios projetados para sintetizar a utilização de conceitos de construção sustentável por vezes apresentam consumo energético global superior ao de edifícios resultantes de práticas triviais de construção. O conceito de análise do ciclo de vida (LCA1), originalmente desenvolvido na esfera de avaliação de impactos de produtos, sustentou o desenvolvimento das metodologias para avaliação ambiental de edifícios que surgiram na década de 90 na Europa, nos EUA e no Canadá, como parte das estratégias para o cumprimento de metas ambientais locais estabelecidas a partir da ECO'92. Todos estes métodos partilhavam o objetivo de encorajar a demanda do mercado por níveis superiores de desempenho ambiental, provendo avaliações ora detalhadas, para o diagnóstico de eventuais necessidades de intervenção no estoque construído; ora simplificadas, para orientar projetistas ou sustentar a atribuição de selos ambientais para edifícios. Em 1996 teve início o chamado Green Building Challenge (GBC), uma pesquisa cooperativa reunindo originalmente 14 países para desenvolver um protocolo de avaliação com uma base comum, porém capaz de respeitar diversidades técnicas e regionais. Grande parte do presente trabalho é fruto da experiência na participação brasileira neste projeto colaborativo. Esta pesquisa visa desenvolver uma metodologia para avaliar sistemática e objetivamente os impactos ambientais gerados ao longo do ciclo de vida de edifícios comerciais típicos das práticas de projeto e construção brasileiras... (AU)