Busca avançada
Ano de início
Entree

Um estudo no óptico e em raios-X do grupo fóssil RX J1340.6+4018

Processo: 09/14224-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 31 de março de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica Extragaláctica
Pesquisador responsável:Laerte Sodré Junior
Beneficiário:Laerte Sodré Junior
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Aglomerados de galáxias  Formação e evolução da galáxia 

Resumo

Grupos fósseis são sistemas com uma galáxia elíptica dominante e uma falta de outras galáxias luminosas em suas regiões mais centrais. A explicação usual para a formação desses sistemas propõe que a falta de galáxias brilhantes é devido ao canibalismo galáctico. Neste trabalho mostramos os resultados de uma análise no ótico e em raios-X de RX J1340.6+4018, o protótipo dos grupos fósseis. Os dados indicam que este grupo é semelhante a aglomerados em quase todos os sentidos (massa dinâmica, luminosidade de raios-X, M/L e função de luminosidades), exceto pela falta de galáxias L*. Há argumentos na literatura de que os sistemas fósseis têm uma deficiência de halos de baixa massa, quando comparados com as predições do modelo Lambda-CDM. Os dados observacionais reunidos sobre este e outros grupos fósseis não favorecem esta ideia. A análise da razão entre o material ejetado por SN Ia e II nas regiões interna e externa do grupo mostram, marginalmente, uma prevalência de SN Ia nas regiões centrais. Isso sugere que ou a fusão (merger) que gerou a galáxia central foi "seca" (sem formação estelar), ou que o grupo se formou há muito tempo, embora mais dados sejam necessários para confirmar esse resultado. (AU)