Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação da sinovite sem dor com parâmetros clínicos, laboratoriais e de imagem (RX e ultrassom) em pacientes com ar estabelecida

Processo: 12/04867-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rita Nely Vilar Furtado
Beneficiário:Rita Nely Vilar Furtado
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Daniele Freitas Pereira ; Jamil Natour
Assunto(s):Reumatologia  Artrite reumatoide  Sinovite  Dor  Ultrassom  Raios X 

Resumo

Existe um grupo de pacientes com Artrite Reumatóide (AR) que apresenta cronicamente sinovite "indolor" em mãos. O significado desta sinovite "indolor" crônica ainda é ignorado, não havendo na literatura estudos que avaliem as variáveis preditoras desse comportamento sinovial nem seu potencial em causar erosões ósseas. O objetivo deste estudo é comparar a sinovite indolor (fria) com a sinovite sintomática segundo achados sinoviais ultrassonográficos (Gray-scale e Power Doppler), dano articular (ultrassom e RX), variáveis clínicas, laboratoriais e demográficas em pacientes com artrite reumatóide. Material/Métodos: Estudo de caso-controle em pacientes com artrite reumatóide (AR), onde serão avaliadas articulações metacarpofalângicas de pacientes sem queixa de dor local. Serão selecionados 60 pacientes com AR dos ambulatórios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que serão divididos em dois grupos de 30 pacientes cada: Grupo "sinovite indolor" e Grupo "sinovite dolorosa". Todos pacientes serão submetidos a avaliação clínica, ultrassonográfica de mãos e colherão exames laboratoriais (VHS, fator reumatóide a anti-CCP) no mesmo dia. A avaliação clínica dos grupos será realizada por um médico reumatologista treinado e capacitado em exame físico articular (sinovite), anteriormente ao exame de US. Serão utilizados os seguintes instrumentos de avaliação: contagem de articulações dolorosas; contagem de articulações edemaciadas; Escala visual analógica (EVA 0-10) para dor; EVA para edema; EVA para atividade da doença; aferição de força de preensão palmar e de pinça com dinamômetro Jamar e Preston Pinch Gauge; 44 joint Disease Activity Score (DAS 44); Stanford Health Assessment Questionnaire (HAQ); Cochin Hand Functional Scale (CHFS); avaliação clínica do paciente. O nível de significância estatística adotado será de 5%. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PEREIRA, DANIELE FREITAS; GUTIERREZ, MARWIN; PIROZZI DE BUOSI, ANA LETICIA; MAIA DINIZ FERREIRA, FERNANDO BERNARDES; DRAGHESSI, ANTONELLA; GRASSI, WALTER; NATOUR, JAMIL; VILAR FURTADO, RITA NELY. Is articular pain in rheumatoid arthritis correlated with ultrasound power Doppler findings?. CLINICAL RHEUMATOLOGY, v. 34, n. 11, p. 1975-1979, . (12/04867-6)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.