Busca avançada
Ano de início
Entree

Hemisfério em transformação

Processo: 12/12543-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 12 de novembro de 2012 - 14 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Política Internacional
Pesquisador responsável:Tullo Vigevani
Beneficiário:Tullo Vigevani
Instituição-sede: Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais (IPPRI). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Direitos humanos  Organizações internacionais 

Resumo

Organizado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-Ineu, Brasil), pelo Center for Latin American and Latino Studies at American University (CLALS-AU, EUA) e pela Coordinadora Regional de Investigaciones Económicas y Sociales (CRIES, Argentina), com apoio do Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais (IPPRI/Unesp, Brasil), o workshop ocorrerá entre os dias 12 e 14 de novembro de 2012, no Memorial da América Latina, São Paulo.Contando com a participação de 28 pesquisadores reconhecidos, dentre os quais 14 provenientes de universidades estrangeiras, particularmente dos Estados Unidos, o evento abordará questões como estratégias e potencialidades dos países em relação à OEA e às organizações regionais.O objetivo do evento é analisar o estado das relações interamericanas à luz dos eventos em curso neste início de séc. XXI. A questão intelectual relevante será compreender como as novas organizações sul e latino-americanas (Unasul, CELAC, ALBA e Mercosul) se relacionam com a estrutura hemisférica tradicional, a OEA. O debate refere-se à crise da OEA, visível nos últimos anos, e, ao mesmo tempo, como conquistas aparentemente alcançadas, no campo de Direitos Humanos e de valores democráticos, podem sustentar-se num eventual declínio do sistema interamericano.Parte-se da ideia de que as responsabilidades são múltiplas, inclusive as norte-americanas. O unilateralismo e mesmo a falta de coerência no tocante ao tema dos Direitos Humanos acentuaram tendências desagregadoras que parecem levar à crise.A contribuição da reunião será importante para a compreensão das formas como as organizações internacionais se comportam num contexto em que a globalização deve confrontar-se com os princípios clássicos da soberania e do Direito Internacional. A questão teórica a ser enfrentada é exatamente o embate entre uni e multilateralismo, discutido à luz de um caso da maior importância para países como Brasil e EUA. (AU)