Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 2013/07793-6: equipamento espectrômetro de raios-X fluorescente, modelo ZSX Primus II

Processo: 16/04788-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Edgar Dutra Zanotto
Beneficiário:Edgar Dutra Zanotto
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07793-6 - CEPIV - Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação em Vidros, AP.CEPID
Assunto(s):Composição química  Fluorescência de raio X  Vidro  Vitrocerâmica  Equipamentos multiusuários 
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Agendamento de uso: E-mail de agendamento não informado

Resumo

A fim de se obter mais informações sobre os processos de cristalização em amostras vítreas, solicitou-se à FAPESP, por meio de projeto associado CEPID (CeRTEV Proc. 2013/07793-6), a aquisição de um equipamento "espectrômetro de raios-X fluorescente, modelo ZSX MODELO ZSX PRIMUS II". A aquisição do equipamento de fluorescência de raios-X dispersivo por comprimento de onda (WDXRF) possui, como objetivo principal, a análise composicional das amostras vítreas e vitrocerâmicas produzidas pelo CeRTEV (CEPID/FAPESP Proc. 2013/07793-6). A análise da estequiometria das amostras produzidas vem sendo um fator limitante à compreensão dos processos de preparação e caracterização. O grande volume de amostras, a velocidade de análise lenta (quando possível de ser feita) e o caráter destrutivo das análises quando feitas por rotas químicas, nos levaram a procurar alternativas para solucionar esta demanda. Além disso, nos estudos de vidros bioativos, é necessário a análise da composição da dissolução destes materiais em meio aquoso, o que pressupõe a análise da fase líquida, fato impossível de ser realizado em equipamentos tradicionais de fluorescência de raios-X. O equipamento solicitado supre estas necessidades e permite a obtenção de estequiometria para elementos a partir do Boro, além de possibilitar o mapeamento composicional da amostra. Por fim, a associação das análises não destrutivas nos permitirá obter um mapeamento químico da amostra, possibilitando uma melhor compreensão da evolução da cristalização em vitrocerâmicas, bem como nos processos de preparação de vidros. Não existe equipamento semelhante nas universidades de São Carlos e região (Araraquara e Ribeirão Preto). Desta forma, além de atender uma necessidade de nossos laboratórios, poderá atender a uma demanda da região podendo inclusive gerar mais uma rede de colaborações científicas para o CEPID.O local para instalação já se encontra construído com recursos da Universidade Federal de São Carlos, contando com a infraestrutura básica necessária (água e esgoto, energia elétrica e rede de internet). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.