Busca avançada
Ano de início
Entree

TLR2-/- mice display increased clearance of dermatophyte Trichophyton mentagrophytes in the setting of hyperglycemia

Processo: 17/00111-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2017 - 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:James Venturini
Beneficiário:James Venturini
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Monócitos  Trichophyton mentagrophytes 

Resumo

Dermatofitoses são uma das das infecções humanas mais comuns que afectam tanto indivíduos imunocompetentes como aqueles imunocomprometidos, nos quais a doença é mais agressiva e pode atingir tecidos profundos. Nas últimas décadas, os casos de dermatofitoses invasivas têm aumentado e a interação entre dermatófitos e hospedeiros continua a ser pouco investigada. Receptores de reconhecimento de padrões, tais como receptores do tipo Toll (TLR), desempenham um papel crucial nas doenças infecciosas. No entanto, poucos estudos têm abordado o papel dos TLRs nas dermatofitoses. No presente estudo, investigamos o papel do TLR2 durante o desenvolvimento da dermatofitoses invasiva experimental em camundongos imunocompatentes e com diabetes mellitus induzido por aloxana. Nossos resultados demonstraram que a inoculação de Trichophyton mentagrophytes (Tm) no coxim plantar de camundongos normais aumenta a expressão de TLR2 em monócitos sanguineos CD115+Ly6Chigh e, em camundongos hipoinsulinêmico-hiperglicêmico (HH) infectados com Tm, o aumento da expressão de TLR2 foi exacerbado. Para compreender o papel do TLR2 durante o desenvolvimento da dermatofitose invasiva murina, utilizamos camundognos knockout para o gene TLR2. Tanto camundongos TLR2-/- e TLR2+/+ infectados com Tm exibiram um controle semelhante da infecção dermatofítica e da atividade macrofágica. No entanto, camundongos TLR2-/- apresentaram aumento na produção de IFN-³, IL-10 e IL-17 e, ainda, aumento na porcentagem de células T regulatórias esplênicas. Interessantemente, camundongos HH-Tm TLR2-/- apresentaram menor carga fúngica, exibiram melhor organização tecidual no local da infecção e elevada produção de peróxido de hidrogénio por macrófagos e menor produção de TNF-a e IL-10. Além disso, esses animais exibiram maior produção de IL-10 por células esplênicas e expansão de Tregs. Em conclusão, nossos achados demonstram que o receptor TLR2 interfere no desenvolvimento da resposta imune adaptativa na vigência da infeccção dermatofítica murina e, em um cenário diabético, atua por intensificar uma resposta inflamatória não-protetora. (AU)