Busca avançada
Ano de início
Entree

Fábricas recuperadas e os trabalhadores: a autogestão entre a teoria e a prática

Processo: 09/54878-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Jacob Carlos Lima
Beneficiário:Aline Suelen Pires
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/61142-3 - A crise do trabalho e as experiências de geração de emprego e renda: as distintas faces do trabalho associado e a questão de gênero, AP.TEM
Assunto(s):Trabalho   Autogestão   Cooperativismo

Resumo

A partir da década de 70, com a crise do modelo fordista e a reestruturação produtiva, ocorreram profundas transformações, não só no mundo do trabalho e da produção, mas em todas as esferas (econômica, social, tecnológica, cultural). Paralelamente a isso, o Brasil passava, nas décadas de 80 e 90, por graves crises financeiras e substanciais mudanças no plano econômico (abertura de mercados, privatizações), o que resultou na falência de muitas empresas. Todo esse contexto significou, para os trabalhadores, aumento do desemprego, perda de direitos sociais, precarização das relações de trabalho. Diante das circunstâncias, os trabalhadores foram impelidos a buscar novas formas de trabalho e de obter renda, e dentre as alternativas encontradas destacamos o trabalho associado e autogestionário. A ANTEAG (Associação Nacional de Trabalhadores em Empresas de Autogestão e Participação Acionária) surgiu nesse contexto, em 1994, com o objetivo de apoiar grupos de trabalhadores a se unirem (em geral em cooperativas) e assumirem o controle das fábricas falidas onde trabalhavam, permitindo, assim, que eles preservassem seus postos de trabalho. Em 2000, tal instituição divulgou um levantamento dos principais empreendimentos que assessorava no país e as condições em que se encontravam naquele momento. Dessa forma, o presente projeto tem por objetivo verificar se e de que maneira a proposta autogestionária se efetivou nessas fábricas recuperadas. A idéia é retornar aos empreendimentos e observar qual são a sua situação no mercado, sob que condições se mantêm e, principalmente, como os valores cooperativos e autogestionários ainda se fazem presentes hoje. Para isso, pretendemos realizar um estudo longitudinal, empregando principalmente as técnicas de entrevista e observação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa::
Cooperativas contra a crise