Busca avançada
Ano de início
Entree

Valor nutricional e propriedades funcionais de espécies espontâneas encontradas no Brasil

Processo: 10/01586-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Beneficiário:Vanessa de Castro Gomes Araújo
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/50505-6 - Valor nutricional e propriedades funcionais de espécies espontâneas encontradas no Brasil, AP.BTA.R
Assunto(s):Dieta   Alimentos funcionais   Antioxidantes

Resumo

A dieta adequada maximiza a saúde e a longevidade, previne deficiência de nutrientes, reduz o risco de doenças crônicas relacionadas à alimentação e deve ser composta de alimentos que estejam disponíveis, sejam seguros e sensorialmente agradáveis. Do ponto de vista de saúde pública, é importante identificar a combinação de alimentos de origem vegetal e animal que possam prevenir a deficiência nutricional e as doenças crônicas. È fato que a diversificação do alimento na dieta contribui positivamente para o estado de saúde do ser humano e, portanto, no campo da nutrição humana, a biodiversidade é estratégica para a segurança alimentar. No entanto, o cenário atual indica que a alimentação no mundo globalizado se restringe a um número reduzido de espécies vegetal e animal.. Algumas espécies espontâneas podem ser boas fontes de nutrientes e de compostos bioativos e a falta de conhecimento desfavorece sua inclusão na dieta. Este projeto visa: a) determinar a composição centesimal e de ácidos graxos, b) avaliar algumas propriedades funcionais (atividade antioxidante, antiglicação e inibição da lipase pancreática) e c) avaliar a aceitação de alimentos de origem vegetal, os quais se encaixam na descrição de plantas espontâneas. Pretende-se avaliar os seguintes alimentos/espécies: mandacaru (Cereus jamacaru), figo-da-índia (Opuntia ficus-indica), uva-do-japão (Hovenia dulcis), jambú ou agrião-do-pará (Spilanthes sp), serralha (Sonchus oleraceus L.), serralinha (Emilia Sonchifolia L.), dente-de-Leão (Taraxacum officinalis Weber), o picão-preto (Bidens pilosa L.), o jenipapo (Genipa americana), juazeiro (Ziziphus joazeiro) e a carambola (Averrhoa carambola). O teor de fenólicos totais será avaliado pelo método de Folin Ciocalteau e o perfil de fenólicos ("fingerprint") por ESI-MS. A determinação de saponinas e sapogeninas por HPLC. A atividade antioxidante será avaliada pela capacidade de captação do radical livre DPPH; a atividade antiglicação será realizada em sistemas modelos contendo albumina ou histonas e metilglioxal, e a capacidade de inibição da lipase pancreática será feita pela adição dos extratos em meio contendo azeite de oliva e lipase pancreática humana. A composição centesimal (proteína, cinzas, lipídeos totais, fibras) será avaliada pelos métodos oficiais de análise e o perfil de ácidos graxos será avaliado por cromatografia gasosa de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas. Será avaliada a aceitação desses alimentos, preparados na forma como são tradicionalmente consumidos, empregando-se escala hedônica. Será utilizado teste estatístico adequado ao comportamento dos dados a fim de determinar diferenças significativas entre as espécies, para as variáveis estudadas. Os dados obtidos permitirão conhecer melhor o potencial de espécies espontâneas que são consumidos por populações isoladas, visando propiciar o acesso da população a alimentos de origem vegetal de qualidade.