Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de eletrodos modificados com compósitos de nanotubos de carbono e polianilina

Processo: 11/17420-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Fabio Ruiz Simões
Beneficiário:Fernanda Palazzo
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotubos de carbono   Polianilina   Sensores   Eletrodos quimicamente modificados   Materiais compósitos

Resumo

Materiais derivados de polímeros condutores (CP's) e nanotubos de carbono (CNT's) vêm sendo cada vez mais utilizados em nanotecnologia. Visando aplicações como materiais de sensores e eletrocatalisadores, os CNT's têm a habilidade de promover reações de transferência de elétrons, aumentar a velocidade de reação e diminuírem potenciais de oxidação. Por sua vez, os CP's têm como principal característica sua a condutividade elétrica que pode ser regulada em ampla faixa, através de interações com receptores e doadores de elétrons, o que os torna atraentes como transdutores ou ativos. Adicionalmente, compósitos de CNT's com CP's apresentam propriedades sinergéticas como diminuição da resistência elétrica e aumento da capacitância específica final.Este projeto tem como objetivo principal desenvolver no Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da Universidade Federal de São Paulo, materiais de eletrodo compósitos de nanotubos de carbono e do polímero condutor polianilina (PAni). Os compósitos serão produzidos com diferentes composições em massa dos componentes, bem como serão testados métodos de obtenção por síntese química e eletroquímica. Os eletrodos serão obtidos na forma de filmes depositados sobre substratos condutores (ITO, platina ou carbono vítreo) ou misturados à pasta de carbono. Os compósitos serão caracterizados por diversas técnicas eletroquímicas (voltametria cíclica e espectroscopia de impedância eletroquímica), espectrofotométricas (Infravermelho e UV-visível) e microscopia eletrônica de varredura.