Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um teste dipstick para o diagnóstico da leptospirose animal

Processo: 11/17695-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Patricia Antonia Estima Abreu de Aniz
Beneficiário:Tatiana Barrionuevo Gotti
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Leptospira   Leptospirose   Proteínas recombinantes   Técnicas de diagnóstico animal

Resumo

A leptospirose é uma doença bacteriana infecto-contagiosa, de curso agudo ou crônico, causada por espiroquetas do gênero Leptospira, de caráter zoonótico e cosmopolita que acomete o homem e os animais domésticos e silvestres. Pode ser transmitida de forma direta pelo contato com os fluidos (sangue ou urina) contendo leptospiras, através das vias transplacentária e hematogênica, genital e o ato de mamar; ou de forma indireta pelo contato com um ambiente contaminado com leptospiras originárias da urina de animais infectados, doentes ou convalescentes. O conhecimento da gravidade da infecção, da distribuição geográfica, dos fatores de risco envolvidos e das estirpes circulantes é de extrema importância para o estabelecimento da epidemiologia regional desta enfermidade e o aprimoramento de medidas preventivas. A informação sobre a epidemiologia da leptospirose se origina a partir dos resultados sorológicos obtidos através da Reação de Soroaglutinação Microscópica (SAM), prova de referência preconizada pela Organização Mundial da Saúde. No entanto, incoerências e limitações desta técnica de diagnóstico são evidentes. Embora a SAM estabeleça certo grau de especificidade sorogrupo/sorovar envolvido, este teste apresenta como desvantagem ser pouco sensível quando considerados o tempo e a elevada concentração de anticorpos necessários para a emissão do sinal. Além disto, muitas vezes, não é discriminatória de infecção pregressa, ativa ou reação vacinal. Portanto, a sorologia não reflete necessariamente o estado de portador ou eliminador de leptospiras. Outros métodos, como a técnica de PCR, também vêm sendo utilizados, aprimorando o diagnóstico precoce da doença. Porém, por PCR não se consegue obter as informações sobre a estirpe infectante de leptospira envolvida, dado epidemiológico importante para se identificar os reservatórios. O isolamento bacteriano é o diagnóstico definitivo da doença, entretanto este método apresenta baixa sensibilidade, necessitando de amostras recém colhidas que devem ser observadas por um período mínimo de 30 dias. Dessa forma, o desenvolvimento de métodos de diagnósticos mais simples, rápidos e eficientes se faz cada vez mais necessário. Neste trabalho, pretende-se avaliar a utilização de proteínas recombinantes de Leptospira spp. como antígenos no desenvolvimento de um teste rápido baseado em ensaio imunocromatográfico do tipo dipstick, como possível método diagnóstico da leptospirose. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ABREU, PATRICIA A. E.; SEGURO, ANTONIO C.; CANALE, DANIELE; DA SILVA, ANA MARIA G.; MATOS, LARISSA DO R. B.; GOTTI, TATIANE B.; MONARIS, DENIZE; DE JESUS, DENISE A.; VASCONCELLOS, SILVIO A.; DE BRITO, THALES; MAGALDI, ANTONIO J. B. Lp25 membrane protein from pathogenic Leptospira spp. is associated with rhabdomyolysis and oliguric acute kidney injury in a guinea pig model of leptospirosis. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 11, n. 5 MAY 2017. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.